Crédito: FREDAMORELLI

Pequim – Os preços da carne de porco na China avançaram ontem, na primeira recuperação significativa em mais de um mês, à medida que o consumo aumentou em meio ao tempo mais frio e a oferta permaneceu escassa no país, maior consumidor global da proteína.

Os preços têm se mantido voláteis, mas analistas afirmam que, a partir de agora, eles podem retomar uma tendência de alta, uma vez que o consumo aumentará durante o inverno (do Hemisfério Norte) e até o feriado do Ano Novo Lunar, no final de janeiro, período em que o consumo tradicionalmente atinge máximas.

Em outubro, os valores da carne suína na China quase triplicaram em relação ao nível do ano anterior, após a morte de milhões de porcos devido a surtos de peste suína africana ao longo do último ano, que fizeram com que o enorme rebanho de porcos do país encolhesse em mais de 40%.

No entanto, após uma máxima de 52 iuanes (US$ 7,39) por quilo, no mês passado as cotações inesperadamente recuaram 20%, à medida que o consumo da carne foi reduzido por conta de seus altos valores e reservas de carne congelada foram liberadas ao mercado.

Ontem, os preços da carne suína no atacado subiram 1,1% em relação aos valores de sexta-feira (29), atingindo a marca de 42,53 iuanes por quilo, de acordo com dados do Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais.

“A lacuna na oferta de porcos ainda é bastante grande”, disse Shu Anli, analista da China-America Commodity Data Analytics. “O consumo também aumentou conforme as temperaturas caíram”. (Reuters)