Ao contrário de outras culturas, o VBP do milho deve ter alta de 5,52% neste ano - Crédito: Divulgação

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de Minas Gerais, para 2019, com base nos dados de outubro, foi estimado em R$ 59,7 bilhões, retração de 2,7% quando comparado com o registrado no mesmo intervalo de 2018, quando a projeção do VBP foi de R$ 61,4 bilhões.

Neste ano, em função da safra menor, o café apresentou VBP 29,7% inferior, o que contribuiu para a retração no VBP total do setor agropecuário.

De acordo com os dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em Minas Gerais, o VBP das lavouras para 2019 foi estimado em R$ 38 bilhões, o que representa uma queda de 1,9% frente aos R$ 38,7 bilhões registrados no ano anterior.

No segmento agrícola, o faturamento bruto da produção total de café foi estimado em R$ 10,3 bilhões, o que representa uma queda de 29,7% frente ao valor de R$ 14,7 bilhões registrados em 2018.

Para o café arábica, o VBP recuou 29,9% e foi estimado em R$ 10,2 bilhões. O faturamento da produção de café conilon deve encerrar o ano em R$ 91,3 milhões, valor 4% menor. A queda verificada no VBP do café é justificada pela perspectiva de uma safra total de café menor e também pelos preços baixos praticados no mercado.

De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a bienalidade negativa e as condições climáticas desfavoráveis fizeram com que a produção de café, em Minas Gerais, na safra 2019, recuasse 26,5% frente ao ano anterior, com a previsão de colheita de 24,5 milhões de sacas de 60 quilos do grão, ante o volume de 33,3 milhões de sacas geradas em 2018.

O VBP também ficou menor na produção de soja. O VBP da oleaginosa está 10,8% inferior e deve encerrar o ano em R$ 6,3 bilhões.

No caso do milho, importante produto do setor agropecuário, o VBP foi estimado em R$ 4,25 bilhões, alta de 5,52%. Na produção de cana-de-açúcar, o faturamento previsto para 2019 é de R$ 6,8 bilhões, expectativa de crescimento de 9,8% sobre os R$ 6,22 bilhões registrados no ano anterior.

Destaque também para o VBP do algodão, que foi estimado em R$ 1 bilhão, alta de 52,3%. A produção em alta e os preços remuneradores são fatores que contribuíram para o resultado positivo na produção de algodão.

Outro produto que está com previsão positiva é a batata-inglesa, com expectativa de alta de 138% e VBP estimado em R$ 3,05 bilhões. Para o feijão, as projeções são positivas, com o faturamento de 2019 calculado em R$ 1,9 bilhão, alta de 95,8%.

O VBP da banana apresentou incremento de 30,8%, com faturamento estimado em R$ 1,73 bilhão. A cultura do tomate teve o VBP previsto em R$ 1,48 bilhão, aumento de 9%.

Pecuária – Na pecuária mineira, o Valor Produto da Produção, com base em outubro, está calculado em R$ 21,7 bilhões, valor 4,15% inferior ao registrado no ano anterior, influenciado, principalmente, pela ausência do VBP de suínos do cálculo.

Dentre os itens que compõem o grupo, o destaque é o VBP do frango, que está 12,8% maior e projetado em R$ 4,6 bilhões. Alta também é esperada no faturamento da produção de ovos, cujo VBP foi calculado em R$ 1,28 bilhão, variação positiva de 22%.

Na produção de leite é esperado aumento de 1,52% no faturamento, com VBP podendo chegar a R$ 9 bilhões, ante os R$ 8,9 bilhões registrados no ano anterior. Em bovinos, o VBP está praticamente estável, com pequena variação positiva de 0,11% e faturamento bruto estimado em R$ 6,7 bilhões. OVBP de suínos não foi calculado.