Agronegócio de Minas deve ter alta de 8,5% no VBP de 2020
O faturamento bruto do café no Estado deve crescer 40,3% neste ano - Crédito: Divulgação

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de Minas Gerais deve alcançar R$ 67,37 bilhões em 2020, alta de 8,5% em relação a 2019, quando o valor chegou a R$ 62,1 bilhões.

O índice, que mede o faturamento bruto da atividade dentro da porteira, será impulsionado, principalmente, pelo setor agrícola, que tem previsão de crescimento no VBP de 11,7%. A estimativa para a pecuária também é positiva, com alta estimada em 2,9% no faturamento bruto.

De acordo com o levantamento feito pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), com base nos dados de janeiro, o valor bruto das lavouras deve alcançar R$ 43,7 bilhões, aumento de 11,7% frente aos R$ 39,1 bilhões registrados em 2019.

Café, soja e milho – Dentre os produtos, o principal destaque será o café. A estimativa é de que o VBP do grão alcance R$ 15,4 bilhões, variação positiva de 40,3% frente aos R$ 11 bilhões registrados no ano anterior. O item é o principal produto da agricultura mineira, respondendo por 35,3% da formação do VBP estadual da agricultura.

Um dos pontos que contribui para a alta do VBP do café é a produção maior. De acordo com dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a primeira estimativa para a safra 2020 de café, em Minas Gerais, aponta para uma produção variando entre 30,7 milhões de sacas e 32 milhões de sacas de café, incremento entre 25,1% e 30,7%, respectivamente, em relação à temporada anterior.

Resultado positivo também é esperado na soja. O faturamento das lavouras da oleaginosa deve somar R$ 7,79 bilhões, aumento de 16,8% frente a 2019. O produto responde por 17,8% da composição do VBP agrícola. Assim como no café, é esperado aumento na colheita da soja. De acordo com a Conab, em Minas Gerais foi estimada elevação de 4,4% na safra de soja, que poderá alcançar um recorde produtivo de 5,29 milhões de toneladas.

Na cultura do milho, a tendência é de um VBP 32,2% maior, somando R$ 6 bilhões, ante R$ 4,6 bilhões registrados no ano passado.  Alta também é esperada no faturamento da produção de banana, 3,6%, com VBP estimado em R$ 1,76 bilhão.

Alguns importantes produtos agrícolas apresentaram queda. Foi o caso da cana-de-açúcar, que representa 13,9% do VBP das lavouras, e registrou retração de 12,5% no VBP, com o faturamento estimado em R$ 6 bilhões. Na batata-inglesa, o recuo deverá chegar a 35,3%, com VBP estimado em R$ 1,8 bilhão em 2020.

Na cultura do feijão o VBP deve somar R$ 1,58 bilhão, resultando em uma queda de 20,3% frente aos R$ 1,9 bilhão registrados em 2019. Retração também é esperada na produção de algodão herbáceo (-7,3%), com o VBP estimado em R$ 1 bilhão para 2020.

Pecuária – Na pecuária, a estimativa é de aumento no Valor Bruto da Produção. De acordo com os dados da Seapa, o faturamento da atividade, em 2020, com base nos dados de janeiro, foi estimado em R$ 23,6 bilhões, o que representa um avanço de 2,9% frente a 2019, quando o faturamento foi de R$ 22,9 bilhões.

Dentre os produtos, a maior alta é esperada na produção de bovinos, com VBP em R$ 8,55 bilhões. Caso o valor seja alcançado, haverá um incremento de 15,4% sobre o registrado em 2019, que foi de R$ 7,41 bilhões.

Na produção de frango, a estimativa é de um faturamento de R$ 5 bilhões, aumento de 3,1%. Já em ovos, a tendência é de estabilidade, com a produção avaliada em R$ 1,34 bilhão.  O VBP de suínos não foi calculado.

O faturamento da produção de leite previsto para 2020 é de R$ 8,7 bilhões, queda de 6,7% frente aos R$ 9,37 bilhões registrados em 2019.