BNB vai disponibilizar R$ 3,6 bilhões no Norte de Minas - Crédito: Divulgação

Ao longo de 2019, o Banco do Nordeste do Brasil (BNB) aplicou R$ 3,4 bilhões em Minas Gerais. O valor disponibilizado em crédito superou em 46% a meta inicialmente estipulada para o Estado. Em relação a 2018, os desembolsos cresceram 30%. Para 2020 as expectativas são positivas e o BNB pretende disponibilizar, no mínimo, R$ 3,6 bilhões para financiamentos no Estado. O valor pode ser ampliado conforme a demanda registrada ao longo do ano.

No ano passado, o BNB disponibilizou R$ 41,2 bilhões em financiamentos de longo e curto prazo em toda a área de atuação, beneficiando setores econômicos dos estados do Nordeste, além de Norte de Minas e Espírito Santo.

De acordo com o superintendente Estadual do Norte de Minas Gerais e do Espírito Santo do Banco do Nordeste, Wesley Mácio Gonçalves Maciel, o ano nas áreas atendidas pela entidade financeira no Estado foi positivo. Ao todo, foram aprovados 259,5 mil contratos em 2019.

“O ano de 2019 foi muito positivo como Banco do Nordeste e também para Minas Gerais. No Estado, conseguimos superar a meta de aplicações em 46% ou seja, fizemos 146% da meta. Também superamos em mais de 30% o volume de recursos aplicados, quando comparamos com 2018”.

Ainda conforme Maciel, em Minas Gerais, a alta nos desembolsos foi puxada, principalmente pelos investimentos em infraestrutura, especialmente na geração de energia limpa. Foram financiados diversos parques de energia solar com placas de captação de energia fotovoltaica.

“A energia renovável, por ser algo relativamente novo, e por proporcionar a geração de energia limpa – sem agressão ao meio ambiente – tem estimulado os investimentos. Além disso, em 2019, tiveram os leilões da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) com áreas no Norte de Minas, e os vencedores buscaram pelos recursos do BNB”, disse.

Dos R$ 3,4 bilhões desembolsados para Minas Gerais, somente por meio do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) foram liberados R$ 1,2 bilhão no Estado. No âmbito do Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), o volume contratado atingiu R$ 270,2 milhões, dos quais R$ 239 milhões foram aplicados pelo programa de microcrédito rural, Agroamigo.

Já as micro e pequenas empresas (MPEs) mineiras foram beneficiadas com R$ 155,6 milhões em volume de crédito. Pelo programa de microcrédito urbano, o Crediamigo, o BNB destinou cerca de R$ 493 milhões para microempreendedores do Estado.

“Além do crescimento dos investimentos nos parques de solar, avançamos em outras áreas como, por exemplo, no crédito para micro e pequenas empresas, no crediamigo e na agricultura. Nós, como banco de desenvolvimento, estivemos presentes em todas as cadeias produtivas do Estado”.

Expectativa – Para 2020, a tendência é de ampliação da demanda. Serão disponibilizados, inicialmente, R$ 3,6 bilhões em crédito para desembolso nas áreas de atuação do BNB em Minas Gerais, que atende os municípios do Norte, Jequitinhonha, Mucuri e parte do Noroeste. O valor que pode ser ampliado conforme a demanda.