COTAÇÃO DE 26/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,7610

VENDA: R$4,7610

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,8500

VENDA: R$4,9530

EURO

COMPRA: R$5,1433

VENDA: R$5,1459

OURO NY

U$1.850,86

OURO BM&F (g)

R$284,80 (g)

BOVESPA

+1,18

POUPANÇA

0,6719%

OFERECIMENTO

Economia

Airbus anuncia resultados acima do esperado

COMPARTILHE

Toulouse – A Airbus divulgou ontem resultados mais fortes que o esperado no quarto trimestre, mas os números foram ofuscados pela decisão de fechar o programa A380, ao mesmo tempo em que prevê mais entregas de aeronaves e lucros em 2019.

O maior grupo aeroespacial da Europa registrou lucro operacional ajustado de 3,096 bilhões de euros no quarto trimestre, 56% maior do que no mesmo período do ano anterior, após acelerar as entregas de aviões nos últimos três meses do ano para compensar atrasos. As receitas subiram 11% na mesma comparação, para 23,286 bilhões de euros.

PUBLICIDADE




Analistas esperavam lucro operacional ajustado de 2,292 bilhões de euros, com faturamento de 22,372 bilhões de euros, segundo pesquisa realizada pela Reuters.

A Airbus previu 880-890 entregas de aeronaves comerciais – mais que as 800 em 2018, e um lucro operacional 15% maior este ano.

A segunda maior fabricante de aeronaves do mundo, atrás somente da rival norte-americana Boeing, informou que atingirá produção mensal de 60 jatos da família A320 até o meio do ano e aumentaria para 63 por mês em 2021.

As ações da Airbus subiram com o lucros mais forte que o esperado e a decisão de abandonar a produção do deficitário A380.

PUBLICIDADE




A380 – A Airbus está encerrando a produção do superjumbo A380, conforme vendas fracas o forçaram a abandonar o sonho de dominar os céus com um ‘cruiseliner’ do século XXI.

O maior avião de passageiros do mundo, com dois decks de grandes cabines e espaço para 544 pessoas, foi projetado para desafiar o legendário 747 da Boeing, mas não conseguiu se firmar quando as companhias aéreas preferiram uma nova geração de jatos menores e mais ágeis.

A decisão veio depois que a Emirates – a maior cliente do A380 – foi forçada a reduzir suas encomendas do superjumbo após uma disputa de motores e uma revisão mais ampla da frota, optando por encomendar um total de 70 unidades menores do A350 e A330neo. Sem a demanda antecipada, a Airbus disse que suas linhas de montagem secariam.

“Esta foi uma decisão conjunta. Não podemos correr atrás de ilusões e temos que tomar a única escolha sensata e parar com este programa”, disse o presidente da Airbus, Tom Enders.

A Airbus disse que entraria em negociações com os sindicatos nas próximas semanas sobre os 3.000 a 3.500 empregos potencialmente afetados. Enders disse posteriormente que a empresa não poderia garantir que todos manteriam seus empregos.

Os empregos em risco são principalmente na França e na Alemanha, mas também pode haver um impacto na Espanha e no Reino Unido.

A Airbus teve uma despesa de 463 milhões de euros para os custos de encerramento, mas é esperado que sejam perdoados cerca de 1 bilhão de euros de empréstimos pendentes de governos europeus de um sistema de financiamento que está no centro de uma disputa comercial com a Boeing. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!