COTAÇÃO DE 22/06/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,9650

VENDA: R$4,9660

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,9570

VENDA: R$5,1130

EURO

COMPRA: R$5,9745

VENDA: R$5,9772

OURO NY

U$1.778,62

OURO BM&F (g)

R$286,53 (g)

BOVESPA

-0,38

POUPANÇA

0,2446%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

ALMG garante recursos para pesquisa de vacina contra Covid-19 da UFMG

COMPARTILHE

Crédito: Andrej Ivanov/Reuters

A destinação de recursos para a continuidade da pesquisa da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) referente à vacina contra a Covid-19 foi garantida pelo presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Agostinho Patrus (PV), em Reunião Especial de Plenário nesta quarta-feira.

A reunião foi destinada a ouvir a reitora da UFMG, Sandra Regina Goulart Almeida, sobre os estudos em andamento na universidade relacionados ao desenvolvimento e à produção de vacina contra o novo coronavírus.

PUBLICIDADE

Agostinho Patrus destacou que tramita na ALMG o Projeto de Lei (PL) 2.508/21, do governador Romeu Zema, o qual autoriza a utilização de recursos oriundos de acordo judicial firmado com a Vale para a reparação de danos causados pelo rompimento da barragem da mineradora em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, que matou 272 pessoas em janeiro de 2019.

Ele se comprometeu a incluir, por meio de uma emenda ao projeto de lei em questão, a destinação do valor de R$ 30 milhões necessário para as fases 1 e 2 dos testes neste ano. A proposição cumpre prazo para apresentação de emendas na Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária.

“Vamos reduzir ações pouco efetivas para este momento que vivemos contidas no projeto e exigir que o repasse para o desenvolvimento da vacina seja feito ainda neste ano e não haja nenhuma interrupção dos estudos. Esperamos que as mortes ocorridas em razão do rompimento da barragem não tenham sido em vão e tragam possibilidade de vida”, defendeu.

Repasse

Agostinho Patrus acrescentou que vai pedir para que a emenda seja assinada por todos os parlamentares da ALMG. Segundo ele, a partir desta quinta (15), as equipes técnicas da ALMG e da UFMG já poderão trabalhar juntas nas questões relacionadas ao repasse de recursos.

“A vacina é nossa solução para reduzir o sofrimento das pessoas, para garantir o retorno seguro das atividades econômicas e para assegurar, acima de tudo, a vida”, destacou.

A reitora da UFMG enfatizou a relevância dos recursos para a continuidade dos estudos. Ela disse que a UFMG vai sofrer, neste ano, corte de R$ 40 milhões no seu custeio, o que corresponde a 18,9% do seu orçamento, o que inviabilizaria o projeto.

Sandra Goulart falou sobre a vacina identificada como “quimera proteica”, que está em estágio mais avançado entre outras seis pesquisadas pela UFMG e parceiros e é também uma das três em desenvolvimento mais adiantadas no País. “Chegamos a um ponto em que não podemos parar”, afirmou.  

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!