COTAÇÃO DE 23/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3090

VENDA: R$5,3100

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3230

VENDA: R$5,4630

EURO

COMPRA: R$6,2055

VENDA: R$6,2068

OURO NY

U$1.742,23

OURO BM&F (g)

R$297,77 (g)

BOVESPA

+1,59

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia zCapa
Além da ampliação da capacidade da planta, empresa deve transferir uma linha da unidade de Osasco (SP) para Itaúna | Crédito: Divulgação / Belgo

O projeto de investimento na expansão da capacidade de produção da unidade da Belgo-Mineira Bekaert Artefatos de Arame (BMB), empresa formada a partir de uma parceria entre a ArcelorMittal e a Bekaert, em Itaúna (região Centro-Oeste), seguem em ritmo mais lento que o inicialmente projetado pela empresa. As medidas de contenção para o controle da pandemia de Covid-19 foram apontadas como a causa da redução do ritmo.

Mesmo com os desafios, as intervenções seguem e a estimativa, com a conclusão do projeto, é elevar a capacidade de produção de cabos para reforço de pneus para carros e caminhões da unidade em 35%. A estimativa é gerar 200 empregos, entre diretos e indiretos, na região.

PUBLICIDADE

De acordo com dados já divulgados pela empresa, os investimentos serão em torno de R$ 107 milhões na planta. O projeto consiste na ampliação da capacidade produtiva de steel cord, que são cabos de aço para reforço de pneus de carros e caminhões. Com o aporte na fábrica de Itaúna a expectativa é consolidar a posição de liderança da Belgo Bekaert no segmento e ampliar a atuação da companhia no mercado latino-americano

Em nota, a empresa informou que “permanece monitorando a demanda do segmento assim como os impactos que isso pode causar no cronograma do projeto. A meta é elevar a capacidade de produção de cabos para reforço de pneus para carros e caminhões da unidade de Itaúna em 35%, consolidar a posição de liderança da Belgo Bekaert no segmento e ampliar a atuação da companhia no mercado latino-americano”.

Transferência – Além da ampliação da capacidade da planta de Itaúna, que acontecerá até o ano que vem, a empresa, em 2019, confirmou a adição de uma linha de produção de arames bead wire (arame de aço revestido com camada em bronze, utilizado no reforço do talão de pneus radiais) na unidade. A linha será transferida da unidade de Osasco (SP) para a cidade mineira até 2021.

Na época em que anunciou a transferência, por meio de nota, a BMB afirmou que a mudança da linha demandará a aquisição de novos e mais modernos equipamentos para a fabricação do produto. A reestruturação das unidades industriais visa otimizar a produção, gerando ganhos de escala e sinergias operacionais, além de garantir níveis elevados de competitividade para o melhor atendimento dos clientes.

O pacote também viabilizará a transformação da unidade em uma planta integrada. Atualmente, a unidade recebe os produtos intermediários semiacabados (fio máquina e arames) da usina da Arcelor de João Monlevade (região Central) e da unidade de Vespasiano, que são transformados em fios de aço em Itaúna. Os fios de aço dão origem aos cabos de aço para pneus de automóveis.

Com a integração, todo o processo será feito na planta de Itaúna. Os aportes incluem, ainda, a instalação de uma nova linha de latonagem (cobertura do arame com camada de latão), máquinas de trefilação e cablagem, assim como a respectiva infraestrutura.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!