COTAÇÃO DE 21/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6670'

VENDA: R$5,6680

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6800

VENDA: R$5,8270

EURO

COMPRA: R$6,5669

VENDA: R$6,5699

OURO NY

U$1.783,12

OURO BM&F (g)

R$323,30 (g)

BOVESPA

-2,75

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia Economia-destaque exclusivo

Cade autoriza Vale a vender duas minas para o grupo AVG

COMPARTILHE

Em meio ao efeito Brumadinho, Vale anuncia prejuízo líquido de US$ 1,6 bi
Crédito: Pilar Olivares/Reuters

Foi autorizada para a Vale a venda de ativos que envolvem as minas de minério de ferro Emesa e Santanense, que deverão ser adquiridas pela Mineração Serra Azul (MSA), pertencente ao Grupo AVG. As duas minas estão localizadas no Quadrilátero Ferrífero, em Minas Gerais.

Conforme publicação no Diário Oficial da União de ontem, não foram feitas quaisquer restrições por parte do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Os valores relacionados à transação ainda não foram divulgados.

PUBLICIDADE

Em nota, a Vale informou que “assinou, em 27 de dezembro de 2019, um Contrato de Compra e Venda de Ações com a Mineração Serra Azul, empresa pertencente ao Grupo AVG, referente à alienação da totalidade das ações da Emesa e dos ativos relacionados à mina de Santanense. A Emesa e os referidos ativos estão localizados em Minas Gerais e pertenciam ao grupo Ferrous, adquirido pela Vale no segundo semestre de 2019. Em 2018, foi produzido na Emesa aproximadamente 1 milhão de toneladas de pellet e sinter feed. A mina de Santanense produziu, no mesmo período, 680 mil toneladas de ROM (minério bruto), transferidos para Emesa”, disse.

A mineradora também afirmou que as partes aguardam recursos eventuais de terceiros. O fechamento da operação, segundo informou a companhia, está previsto para o segundo semestre deste ano.

O DIÁRIO DO COMÉRCIO procurou também o Grupo AVG para comentar sobre o assunto, mas não recebeu um retorno até o fechamento desta edição.

De acordo com o parecer do Cade, a mina de Emesa está com a reserva praticamente exaurida, portanto, não há nela, atualmente, atividades de origem extrativa. “Até recentemente, a planta de processamento localizada junto à Emesa era utilizada para processar minério de ferro sinter feed extraído da mina de Santanense (também em vias de exaurimento), o qual era combinado com produto fornecido pela AVG nos termos de um contrato de fornecimento vigente até agosto de 2019.” Segundo o documento, a mina de Santanense, produz apenas minério de ferro sinter feed.

Planta – O material destaca ainda que o grupo AVG, além de atuar com mineração de minério de ferro, também já tinha relações comerciais tanto com a Emesa quanto com a Santanense. O conteúdo frisa que a AVG está adquirindo, em última análise, a planta de processamento da Emesa.

O documento também ressalta que os ativos possuem um valor comercial para a AVG, além de possuírem sinergia com as atividades que são realizadas pelo grupo.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!