COTAÇÃO DE

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6280

VENDA: R$5,6280

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6030

VENDA: R$5,7800

EURO

COMPRA: R$6,7254

VENDA: R$6,7278

OURO NY

U$1.763,38

OURO BM&F (g)

R$319,29 (g)

BOVESPA

+0,34

POUPANÇA

0,1590%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Conab estima alta de 4,6% na produção de grãos em 2018/19

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

São Paulo – A produção de grãos na safra 2018/19 deve atingir 238,41 milhões de toneladas (t), o que representa um aumento de 4,6%, ou 10,6 milhões de toneladas a mais, em relação à safra passada 2017/18. Os números fazem parte do terceiro levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado ontem.

Conforme a Conab, os principais produtos responsáveis por esses números são soja, milho, arroz e algodão, as maiores culturas do País, que juntas correspondem a 95% da produção total.

PUBLICIDADE

Nesse terceiro levantamento, a área plantada de grãos no Brasil está estimada em 62,49 milhões de hectares. A perspectiva é de aumento de 1,2% em relação à temporada passada, que equivale a um incremento de 756,3 mil hectares, “explicado pelos aumentos na área de algodão e soja”, informa a Conab em boletim.

O estudo identificou que as condições climáticas apresentadas até agora, em todas as regiões produtoras de grãos, estão influenciando positivamente nas produtividades.

As expectativas para a safra 2018/19 indicam que a produção de soja deve atingir 120,1 milhões de toneladas, aumento de 0,7% ante a safra anterior (119,28 milhões de t). Com relação à área plantada dessa cultura, há uma tendência de crescimento de 1,8% em relação à passada.

No caso do milho, a produção total deverá atingir 91,1 milhões de t (são duas safras por ano). O milho plantado na primeira safra apresenta produção bastante pontual para atendimento da demanda interna, como para ração animal para confinamento e nas áreas próximas às granjas de aves e suínos, uma vez que o foco do produtor neste momento do plantio é a soja.

A área plantada de milho nessa safra atinge 5,1 milhões de hectares, representando incremento de 0,8% em relação à temporada 2017/18.
A segunda safra de milho deve ser de 63,73 milhões de t, com base em resultado médio das últimas safras, o que corresponde a um crescimento de 18,1% ante 2017/18 (53,98 milhões de t). Com isso, o Brasil deve colher safra total de 91,10 milhões de t de milho em 2018/19, alta de 12,8% ante o período anterior (80,79 milhões de t).

Algodão – Com relação ao algodão, o produto deve atingir 2,4 milhões de t de pluma, que representa um acréscimo de 17,8% sobre a safra passada (2 milhões de t). “O desempenho das cotações da pluma tanto no mercado interno, quanto no externo estimulou os produtores nacionais a investirem fortemente na lavoura”, diz a Conab.

A safra de arroz deve diminuir 6,6%, para 11,27 milhões de t (12,06 milhões de t em 2017/18). Já as três safras de feijão de 2018/19 devem somar 3,01 milhões de t (queda de 3,3% ante o período anterior, quando o País colheu 3,12 milhões de t). A primeira safra de feijão deve ser de 1,10 milhão de t (-14,3%). A segunda safra está estimada em 1,19 milhão de t (-1,9%). Já a terceira safra da leguminosa deve atingir 723,8 mil t (+17%).

Segundo a Conab, todas as culturas de inverno (aveia, canola, centeio, cevada, trigo e triticale) em 2018 tiveram resultados melhores do que na safra passada. A produção poderia ter sido maior se não ocorressem adversidades climáticas nas principais regiões produtoras. A estimativa é de produção de 5,5 milhões de toneladas de trigo, 28,4% superior à safra 2017. (AE)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!