COTAÇÃO DE 07/12/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6180

VENDA: R$5,6180

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6500

VENDA: R$5,7830

EURO

COMPRA: R$6,3427

VENDA: R$6,3451

OURO NY

U$1.784,35

OURO BM&F (g)

R$323,23 (g)

BOVESPA

+0,65

POUPANÇA

0,5154%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia Economia-destaque exclusivo

Desembolsos do BNB em Minas Gerais somam R$ 266,7 mi

COMPARTILHE

Crédito: Divulgação

Os desembolsos do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) para Minas Gerais, de 16 de março a 11 de maio, período em que foi decretado o isolamento social para o controle do novo coronavírus, totalizaram R$ 266,7 milhões.

As operações foram contratadas com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) e no âmbito do programa de microcrédito, Crediamigo.

PUBLICIDADE

Com recursos do FNE, foram 6.650 novas operações, no valor total de R$ 193,9 milhões. Dos recursos disponibilizados pelo FNE, R$ 127,5 milhões foram para a área rural, com a aprovação de 6.229 novos contratos de crédito. Já as operações não rurais, somaram recursos na ordem de R$ 66,45 milhões, com 421 aprovações.

Já os desembolsos do Crediamigo somaram R$ 72,7 milhões para as áreas de atuação do BNB em Minas Gerais. No período de 16 de março a 11 de maio, foram aprovados 29 mil contratos.

De janeiro a março, o valor total disponibilizado para as áreas de atuação do BNB em Minas Gerais somam R$ 387 milhões, sendo R$ 261,4 milhões disponibilizados através dos recursos do FNE e R$ 125 milhões do Crediamigo.

O superintendente do Banco do Nordeste para os estados de Minas Gerais e Espírito Santo, Wesley Maciel, explica que com o fechamento de diversos empreendimentos para o controle do novo coronavírus, muitos empreendedores tiveram que buscar crédito para quitar despesas.

“Nós tivemos uma elevação da demanda porque as empresas, em sua grande maioria, estão fechadas e tiveram a receita drasticamente reduzida ou zerada. A maior parte dos recursos foi solicitada por empreendimentos de micro e pequeno porte, que estão mais expostos à crise e têm menos reserva financeira para quitar as despesas em um período de redução dos recursos”, explicou Maciel.

Ainda conforme o representante do BNB, um dos principais fatores que tem elevado a demanda pelos recursos do banco são as taxas de juros reduzidas e a maior carência, o que é considerado essencial para auxiliar as empresas neste momento de crise.

“O BNB está trabalhando com as melhores taxas. No caso do FME para capital de giro, o governo federal, reduziu a taxa que era de 5% a 6% ao ano, que já era uma das menores, para 2,5% ao ano, ou seja, abaixo da inflação, o que gera uma taxa negativa.

A taxa é valida para este período de emergência. Nesta modalidade, a empresa pode contratar até R$ 100 mil para capital de giro”, disse.

As empresas de médio e grande portes também são atendidas, mas pelas linhas tradicionais oferecidas pelo BNB e que têm condições diferenciadas do mercado.

Prorrogação – Maciel explica que outra medida adotada e considerada fundamental para a sobrevivência das empresas foi a prorrogação dos pagamentos dos créditos já contratados junto ao BNB.

“Sabemos da redução do faturamento e estamos preocupados com as empresas com operações urbanas, por isso, prorrogamos a carência dos contratos até dezembro. Ou seja, o empresário só retomará os pagamentos em janeiro, quando também deverá quitar os juros do prazo de carência. Como essa prorrogação foi é uma medida do governo federal, ela não altera a avaliação dos clientes para a tomada de empréstimos, que é rebaixada quando se pede uma renegociação de dívida”.

A entidade financeira atua em 168 municípios distribuídos nas regiões Norte, Vale do Jequitinhonha, Mucuri e em dois municípios do Noroeste (Arinos e Formoso), que correspondem a 35% dos municípios mineiros.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!