COTAÇÃO DE 25/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,8200

VENDA: R$4,8210

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,8900

VENDA: R$5,0160

EURO

COMPRA: R$5,1520

VENDA: R$5,1546

OURO NY

U$1.853,68

OURO BM&F (g)

R$287,13 (g)

BOVESPA

-0,98

POUPANÇA

0,6724%

OFERECIMENTO

Economia Economia-destaque

Eletrobras convoca assembleia sobre aumento de capital

COMPARTILHE

Crédito: REUTERS/Brendan McDermid

A Eletrobras <ELET6.SA> informou que o conselho de administração da companhia aprovou a convocação para 14 de novembro de assembleia geral extraordinária de acionistas para deliberar sobre um aumento de capital por subscrição privada de até R$ 9,98 bilhões.

Um montante mínimo de R$ 4,05 bilhões deverá ser subscrito e integralizado pela União, controladora da empresa, por meio da capitalização de Adiantamentos para Futuro Aumento de Capital (AFACs), informou a estatal em comunicado na noite de segunda-feira.

PUBLICIDADE




As ações emitidas na operação terão preço unitário de R$ 35,72 para os novos papéis ordinários e de R$ 37,50 para os preferenciais de classe B, definido com base na média ponderada dos últimos 30 pregões da bolsa B3 antes de 7 de outubro pelo volume de ações negociadas no período, considerando-se deságio de 15%.

Os acionistas terão direito de preferência para a subscrição das novas ações na proporção de suas participações no capital da companhia.

A operação ainda depende da emissão de um decreto presidencial autorizativo, que deverá ser emitido até a data da assembleia, de acordo com proposta da administração da Eletrobras.

“O deságio justifica-se devido ao prazo estimado de cerca de 60 dias entre a data de convocação assembleia geral de acionistas e o término do período de preferência de 30 dias, visando garantir que a proposta será atrativa para os investidores, uma vez que poderá haver variação do preço atualmente praticado até a data da efetiva subscrição e integralização”, afirmou a Eletrobras.

PUBLICIDADE




A estatal acrescentou que os novos recursos levantados com a operação “têm por objetivo reforçar o caixa da companhia” e fazer frente a seu Plano de Negócios e Gestão 2019-2013, incluindo despesas com planos de desligamento, desligamento de terceirizados, reperfilamento de passivos financeiros e desalavancagem.

A Eletrobras ainda explicou que haverá possibilidade de acionistas que têm direitos a dividendos referentes a 2018 ainda não pagos pela companhia utilizarem esses créditos para subscrever ações no aumento de capital, o que “poderá evitar o desembolso de caixa pela companhia”.

(Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!