Arrendamento da unidade da Quatrelati em Patrocínio viabilizará um aumento de 16% na capacidade de processamento da Embaré | Crédito: Nadim Neto/Embaré

A Embaré firmou um contrato de arrendamento com a Quatrelati no último dia 19 de junho. Embora não fale em valores de investimentos, a empresa, que é a sexta maior de laticínios do País, tem metas bem definidas para este ano com o novo negócio. O empreendimento espera crescer até 20% em 2020.

O documento ainda será submetido ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Logo após a aprovação, a Embaré, que faturou R$ 1,38 bilhão em 2019, deve assumir a fábrica da Quatrelati, que fica na cidade de Patrocínio, no Alto Paranaíba. Com isso, os novos produtos serão feitos sob a marca Camponesa.

Embora a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) tenha impactado diversos estabelecimentos pelo País, a marca tem a seu favor um segmento que, em sua maior parte, permanece lucrativo mesmo em meio à crise econômica: o dos itens alimentícios comercializados em supermercados.

Conforme destaca o presidente da Embaré, Alexandre Antunes, os produtos vendidos nas prateleiras ainda têm tido grande saída, ao contrário do que tem ocorrido em muitos negócios do food service. “A Embaré está focada no atendimento a esse tipo de comércio”, salienta.

Esse ambiente de negócios deve permitir que a marca aumente em 16% a sua capacidade de processamento de leite por dia, chegando a 2,8 milhões de litros diariamente. “Já em relação ao leite em pó, que é o nosso carro-chefe, o incremento deve ser de aproximadamente 25%”, ressalta Antunes.

O leite em pó Camponesa, aliás, já está entre as três marcas mais vendidas do País, segundo os dados do Instituto AC Nielsen. Além do mercado promissor em Minas Gerais, as regiões Norte e Nordeste também representam muito para a empresa.

Para chegar a esse ponto, Antunes ressalta que a companhia mira sempre a inovação nos seus processos produtivos, buscando novas tecnologias. O objetivo, diz, é o desenvolvimento desde os produtores até os distribuidores para entregar um item capaz de oferecer um ótimo custo-benefício para os consumidores.

Evolução natural – O presidente da Embaré conta que o arrendamento da Quatrelati se deu em um processo natural. De acordo com ele, no começo deste ano, em fevereiro, a empresa já terceirizava parte da sua produção nas dependências do empreendimento de Patrocínio.

“Já havíamos atingido o limite de capacidade da produção de leite em pó e terceirizávamos a secagem do produto”, relata ele. A Embaré já conta com fábricas em Lagoa da Prata e em Santo Antônio do Monte, na região Centro-Oeste do Estado.

Sustentabilidade – A Embaré também tem focado a sustentabilidade em seus negócios. Para produzir o leite, usa 1,35 litro de água por litro de leite industrializado. Para isso, instalou hidrômetros nos diversos setores de produção e reutiliza água condensada para gerar vapor na caldeira.