COTAÇÃO DE 14/05/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2710

VENDA: R$5,2710

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,2700

VENDA: R$5,4330

EURO

COMPRA: R$6,3961

VENDA: R$6,3990

OURO NY

U$1.843,90

OURO BM&F (g)

R$311,62 (g)

BOVESPA

+0,97

POUPANÇA

0,2019%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Destaque Economia

Escassez de minério granulado impacta o parque guseiro de MG

COMPARTILHE

A produção das indústrias de ferro-gusa de Minas Gerais avançou 11% em 2020, somando 3,7 milhões de toneladas | Crédito: Divulgação

A indústria do ferro-gusa pode ter paradas pontuais nos próximos dias em Minas Gerais, devido à falta do minério de ferro granulado. Para driblar o problema, alguns usineiros têm buscado o insumo no Mato Grosso do Sul. O reflexo disso é um aumento nos preços que compromete a cadeia produtiva.

A informação é do presidente do Sindicato da Indústria do Ferro do Estado de Minas Gerais (Sindifer-MG), Fausto Varela Cançado. Pequenas e médias mineradoras, que fornecem para o setor, argumentam que a escassez está relacionada à qualidade do minério e ao aumento da demanda.

PUBLICIDADE

“É inacreditável pensar que estamos no quadrilátero ferrífero, no Estado que é o maior produtor de minério de ferro do planeta, mas precisamos buscar o produto no Mato Grosso do Sul, a 1.800 km de distância”, afirmou Varela Cançado. E a escassez sempre vem acompanhada de aumento dos preços. “Houve uma alta de 130% nos preços do minério de ferro granulado nos últimos 12 meses. Somando-se a isso à alta no valor do carvão, que também superou os 100%, nosso custo fica muito elevado e temos de repassar”.

Outro problema apontado pelo presidente do Sindifer-MG é a qualidade do produto. “Nós precisamos da hematita granulada, com teor de ferro acima de 62%. Ao longo do tempo esse teor vem caindo. As ofertas atuais estão entre 55% e 60%. Com isso, a produtividade cai. Gasta-se mais carvão e mais minério”. Outro empecilho é a contaminação por sílica. “Gera muita escória. Com o teor de ferro normal que precisamos, gera-se em torno 150 kg de rejeito por tonelada. Hoje, com o ferro mais contaminado, ultrapassa os 400 kg por tonelada”.

A demanda da indústria de ferro-gusa vem aumentando. Considerando os resultados de 2020, a produção foi de 3,7 milhões de toneladas, o maior em 12 anos, segundo Varela Cançado. Houve crescimento de 11% em relação a 2019. As exportações representaram 72% das vendas.

“A tendência para este ano é de manter o crescimento, mas essa expansão pode ficar comprometida em função da alta dos preços e da escassez do ferro granulado”. Ainda segundo o presidente do Sindifer-MG, o Estado tem hoje 45 indústrias do setor que geram cerca de 9 mil empregos.

Ouça o que disse o presidente do Sindicato da Indústria do Ferro do Estado de Minas Gerais (Sindifer-MG), Fausto Varela Cançado

Mineradoras

Todos os problemas apontados, tanto de escassez quanto de qualidade e de preço podem ser explicados pela elevação da demanda nos últimos anos, segundo o assessor especial do Sindicato da Indústria Mineral do Estado de Minas Gerais (Sindiextra), Cristiano Parreiras.

“Para não deixar de atender, em um período em que a demanda é crescente, muitas empresas têm oferecido um material de qualidade mais baixa, enquanto se mobilizam para viabilizar novas lavras. Essa questão da qualidade, que interfere na produtividade, é que pode estar levando compradores a buscar o produto em outros estados, não a falta do minério”, afirmou. De fato, segundo o presidente do Sindifer, Fausto Varela Cançado, o produto comprado no Mato Grosso do Sul tem vindo com um índice de mistura menor, em torno de 60%.

“Não se abre uma nova lavra do dia para noite. É algo que envolve muitos processos. Há muitas obras em andamento. Diante do cenário que temos hoje, com muitos projetos já em execução, acredito que oferta e demanda tendem a se equilibrar ainda neste ano”, informou Parreiras. Ele frisou que os pedidos de licenciamentos ambientais para novas lavras estão ocorrendo dentro dos prazos que a lei exige, sem atrasos.

O assessor especial do Sindiextra explicou ainda que o preço do minério de ferro no mercado internacional interfere pouco nos valores locais. “As pequenas e médias mineradoras fornecem apenas para o mercado interno. Toda a produção fica aqui. A elevação nos valores da commodity tem algum peso, mas é a demanda que interfere mais nos valores”.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!