COTAÇÃO DE 20-01-2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4160

VENDA: R$5,4170

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,4470

VENDA: R$5,5770

EURO

COMPRA: R$6,1450

VENDA: R$6,1478

OURO NY

U$1.837,83

OURO BM&F (g)

R$321,61 (g)

BOVESPA

+1,01

POUPANÇA

0,6340%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia
" "

Londres – A trader global Glencore está finalizando um acordo para fazer um pagamento de US$ 500 milhões ao braço de mineração da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), envolvendo fornecimento de 20 milhões de toneladas de minério de ferro ao longo de cinco anos, afirmaram fontes com conhecimento do assunto.

O acordo deve ser acertado pela CSN com a Glencore, no primeiro trimestre deste ano, disseram as fontes. Representantes da CSN e da Glencore, que segundo fontes está assegurando financiamento de bancos para o acordo, não comentaram o assunto.

PUBLICIDADE




O acordo está sendo negociado em um momento de alta nos preços do minério de ferro depois da tragédia envolvendo o colapso de uma barragem de rejeitos da Vale em Brumadinho no último dia 25. A tragédia forçou a Vale a anunciar planos de cortar 10% de sua produção.

Os preços de referência do minério de ferro foram negociados a US$ 87,30 a tonelada na sexta-feira (1º), acima dos US$ 85,3 de quinta-feira.

A CSN está em um processo de venda de ativos para acelerar redução de endividamento e a negociação de venda antecipada de minério de ferro era uma das estratégias citadas no ano passado pelo presidente-executivo da companhia, Benjamin Steinbruch, para ajudar na redução da alavancagem da empresa.

A CSN Mineração é a segunda maior produtora de minério de ferro do Brasil e produziu 30 milhões de toneladas do produto em 2017.




Desde a tragédia em Brumadinho, moradores de Congonhas, na região Central, que abriga a principal mina da CSN, Casa de Pedra, têm cobrado mais transparência da empresa sobre a divulgação de informações sobre o estado da barragem da mina, que tem 76 metros de altura e capacidade para acumular cerca de 50 milhões de metros cúbicos de rejeito. A barragem de Brumadinho tinha cerca de 12 milhões de metros cúbicos.

Na sexta-feira (1º), a Prefeitura de Congonhas afirmou que a CSN procurou o governo municipal no início desta semana para reafirmar planos de desativar o depósito de rejeito na barragem, que esta a cerca de 300 metros de um bairro da cidade, até o final deste ano e retirar a água e reflorestar a área nos próximos anos. Segundo a CSN, a empresa tem atestados que comprovam segurança da estrutura e a mina de Casa de Pedra segue operando normalmente. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!