COTAÇÃO DE 24/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3430

VENDA: R$5,3440

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3800

VENDA: R$5,5030

EURO

COMPRA: R$6,2581

VENDA: R$6,2594

OURO NY

U$1.750,87

OURO BM&F (g)

R$301,00 (g)

BOVESPA

-0,69

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia
Parceria público-privada compreende 182.257 pontos de iluminação que receberão luminária LED até dezembro de 2020 | Crédito: Divulgação

Dois anos após a assinatura do contrato de parceria público-privada (PPP) firmado entre a BHIP e a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) para a modernização da iluminação pública da capital mineira, já foi possível gerar uma economia no consumo de energia da ordem de 18,5%, reduzindo os custos com iluminação pública na cidade.

Nos locais atendidos essa economia chega a 55% e a previsão é de que o serviço gere uma economia anual de até R$ 25 milhões aos cofres da Prefeitura.

PUBLICIDADE

O valor do contrato da PPP é de R$ 991,8 milhões, sendo R$ 400 milhões a serem investidos pela BHIP na operação e modernização. A contrapartida do município é a remuneração de R$ 1 bilhão pela operação durante o tempo do contrato.

O objetivo é a prestação de serviços de iluminação pública, incluídos o desenvolvimento, modernização, ampliação, maior eficiência energética, operação e manutenção da rede municipal. Segundo o cronograma, até outubro de 2020, 182.257 pontos de iluminação receberão luminárias LED. Até o momento, já houve reposição de 101 mil pontos.

As regiões que já foram beneficiadas pela modernização são: Barreiro, Venda Nova, Norte, Nordeste, Leste, Oeste e parte do bairro Centro. Segundo o cronograma, até abril de 2020 devem ser beneficiadas, com 27.390 pontos de iluminação, áreas da Pampulha e Centro-Sul. Essas regiões devem ser totalmente atendidas até outubro de 2020, com outros 33.834 pontos.

Além da modernização de 100% da iluminação pública em três anos, incluindo telegestão, o contrato prevê redução mínima de 45% do consumo de energia; taxa de falha inferior a 1% e atendimento dos chamados em até 48h. Como a redução de consumo alcançada já foi superior ao índice de 45%, em janeiro deste ano o prefeito Alexandre Kalil anunciou um repasse à população de uma economia de 10,5% na taxa de iluminação da cidade.

Segundo a BHIP, após a conclusão de todo o processo de modernização, as novas luminárias LED apresentarão um potencial de economia anual entre R$ 20 e R$ 25 milhões na conta de energia elétrica da iluminação pública da Prefeitura, além de atender as normas de iluminação brasileira, a ABNT NBR 5101/2012.

O consórcio também chama atenção para a questão ambiental, pois as luminárias LED utilizam material não contaminante, ao contrário da iluminação convencional com vapor de sódio ou mercúrio e outros elementos químicos, que demandam descontaminação.

“Acreditamos também que, com a cidade melhor iluminada, haverá redução na criminalidade e diminuição dos acidentes ocorridos em razão de iluminação insuficiente”, pontua a assessoria do consórcio.

O modelo de parceria adotado em Belo Horizonte é inédito no Brasil e, segundo a BHIP, é pioneiro em escala mundial em razão do curto espaço de tempo em que todo o parque de iluminação de uma cidade do porte de BH será modernizado.

“Para efeito de comparação, Los Angeles, nos EUA, realizou a modernização de 210 mil pontos em sete anos. Estamos fazendo praticamente a mesma quantidade de pontos, mas na metade do tempo”, sinaliza o consórcio.

Mercado promissor – A maior PPP de iluminação pública do País, desenvolvida em Belo Horizonte, está sendo implantada com projeto da BHIP e participação da Signify, líder mundial em iluminação, com fábrica em Varginha, Sul de Minas.

De acordo com o CEO e Gerente-Geral da Signify Brasil, Sérgio Costa, a tendência é de crescimento desse mercado de iluminação pública no País, por meio de PPPs.

“O Brasil tem 18 milhões de pontos de luz e nem em 10% do total foi feita a troca de tecnologia, que garante maior qualidade e economia de energia”, sinaliza.

Os novos pontos de iluminação em LED que estão sendo instalados na capital mineira são da série Road Line, fabricados na fábrica da Signify em Varginha. Mas, segundo Costa, o projeto desenvolvido com a BHIP para Belo Horizonte vai muito além do fornecimento do produto, pois começou em 2017 envolvendo pesquisa de todos os pontos de iluminação pública da cidade, para seleção da melhor luminária segundo cada ambiente.

Segundo Costa, originalmente a fábrica da Signify em Varginha priorizava a produção de componentes de iluminação como reatores de lâmpadas e luminárias. Mas, que, nos últimos anos, houve um crescimento na produção das luminárias, puxado pelo segmento de iluminação pública no País.

“É um mercado em potencial”, sinaliza, lembrando que agora é necessária a certificação, segundo as normas de iluminação brasileira, a ABNT NBR 5101/2012. Entre as cidades que podem aderir ao modelo de PPP para modernização do sistema de iluminação pública estão Porto Alegre (RS) e Teresina (PI).

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!