COTAÇÃO DE 21-01-2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4550

VENDA: R$5,4550

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,4870

VENDA: R$5,6130

EURO

COMPRA: R$6,1717

VENDA: R$6,1729

OURO NY

U$1.829,52

OURO BM&F (g)

R$320,53 (g)

BOVESPA

-0,15

POUPANÇA

0,6107%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia
" "

A partir de abril, a Nippon Steel & Sumitomo Metal (NSSMC), sócia majoritária da Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais (Usiminas), vai passar a se chamar apenas Nippon Steel Corporation. A mudança ocorre seis anos após a fusão entre as duas siderúrgicas, ocorrida em outubro de 2012, que deu origem à companhia. A alteração visa simplificar o nome da empresa, que vem adquirindo novas subsidiárias. Em 2017, foi a Nisshin Steel e, em março próximo, finaliza a aquisição da Sanyo Special Steel.

A informação foi confirmada pelo diretor para as Américas da Nippon, Kazuhiro Egawa. Segundo ele, a siderúrgica japonesa tem feito alianças e aquisições como forma de acelerar e melhorar a cooperação com outros fabricantes de aço pelo mundo, visando continuar o crescimento nos mercados globais com origem no Japão. “Hoje já temos o nome de duas companhias no nome e com a aquisição de outras duas ficaria ainda maior e mais complexo. Por isso, optamos por resumir”, explicou.

PUBLICIDADE




Outra novidade prevista para os próximos meses é a mudança do CEO e do presidente do Conselho de Administração da companhia. O atual diretor representativo e CEO, Kosei Shindo, vai se tornar diretor representativo e presidente do Conselho de Administração, enquanto o atual diretor representativo e vice-presidente executivo, Eiji Hashimoto, ascenderá a diretor representativo e presidente da empresa.

Sobre Hashimoto, Egawa destacou sua atuação no Brasil e como membro do conselho de acionistas da Usiminas, no período de 2013 a 2015. “Ele conhece bem o Brasil, tem bastante conhecimento dos nossos negócios no País e foi escolhido também porque a atuação global da Nippon vai ser muito importante para o segmento siderúrgico a partir de agora”, ressaltou.

Operações – Em termos de atuação, a Nippon está presente nos segmentos de aço, engenharia, químicos, soluções de sistemas e novos materiais. No entanto, a grande maioria dos negócios da companhia (86%) vem do setor siderúrgico. De maneira global, o número de empresas afiliadas chega a 869, os funcionários a 92 mil e os acionistas a aproximadamente 520 mil.

Tratando-se especificamente do mercado siderúrgico, a NSSMC segue como um dos líderes mundiais na produção mundial, com 47,4 milhões de toneladas somente em 2017. Seus clientes estão divididos basicamente entre 70% manufatura e 30% construção.




Dos produtos fabricados pelos braços da empresa, 48% são de chapas, 12% de canos e tubos, 11% de barras e fio-máquina, 10% de placas, 7% de aço inoxidável, 7% de produtos de construção, 3% de ferrovias e peças automotivas e 1% de titânio e aços inoxidáveis especiais.

A base de clientes da companhia se divide entre os setores de automóveis, construção naval, energia, eletrodomésticos, contêiner, equipamento industrial, demais manufaturas e construção.

Vale destacar, por fim, o plano de médio prazo estabelecido pela companhia entre 2018 e 2020, incluindo uma série de esforços, no sentido de se tornar a siderúrgica mais completa do mundo. Para isso, a empresa aponta os diferenciais de tecnologia, custo e atuação global, visando crescer em três principais áreas: automotivo, energia e infraestrutura.

Serão cinco principais estratégias: entregar materiais e soluções que correspondam às mudanças na sociedade e na indústria; fortalecer e expandir os negócios globais; continuar a fortalecer as capacidades de produção das fábricas; utilizar tecnologia de informação avançada em processos siderúrgicos; e contribuir para conquista de uma sociedade sustentável.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!