COTAÇÃO DE 23 A 25/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6270

VENDA: R$5,6270

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,8030

EURO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,6750

OURO NY

U$1.792,47

OURO BM&F (g)

R$327,87 (g)

BOVESPA

-1,34

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia Economia-destaque

Países ricos bloqueiam quebra de patentes de remédios contra Covid-19

COMPARTILHE

A OMC afirmou que apoia enfrentar barreiras de acesso a remédios contra ao Covid-19 | Crédito: REUTERS/Denis Balibouse

Genebra – Países desenvolvidos reiteraram na sexta-feira (20) suas oposições à proposta de quebrar as patentes dos remédios contra Covid-19, afirmaram três fontes da área comercial, apesar da pressão em busca de uma exceção para facilitar o acesso dos países mais pobres.

Apoiadores da quebra da patente dizem que as regras atuais de propriedade intelectual (IP, sigla em inglês) criam barreiras ao acesso a remédios e vacinas a um preço razoável e querem que as restrições sejam aliviadas, como foram durante a epidemia de AIDS.

PUBLICIDADE

Mas a oposição de União Europeia, Estados Unidos e algumas outras nações desenvolvidas, em uma reunião, na sexta-feira, significa que a proposta que deveria ser apresentada ao Conselho Geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), no próximo mês, provavelmente irá fracassar.

“Se os países ricos preferem lucro a vidas, eles vão matar isso ao amarrá-lo a tecnicalidades”, disse um delegado apoiando a proposta e que participou da reunião a portas fechadas.

A OMC, com 164 membros, precisa concordar por consenso, a menos que membros aceitem progredir para uma votação, o que é uma medida excepcional.

Uma segunda fonte da área comercial afirmou que países em desenvolvimento negaram que os direitos de propriedade intelectual estavam criando barreiras, dizendo que a suspensão “era não apenas desnecessária, mas também prejudicaria os esforços colaborativos que estão em andamento para enfrentar a pandemia”.

Missões diplomáticas dos Estados Unidos e da União Europeia em Genebra não responderam imediatamente ao pedido por comentários.

A proposta foi inicialmente apresentada por Índia e África do Sul, em outubro. Desde então, a China, que tem cinco candidatas a vacina em estágios finais de testes, expressou seu apoio, assim como dúzias de outros membros da OMC, a maioria de países em desenvolvimento.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que apoia enfrentar barreiras de acesso a remédios contra Covid-19, assim como a nigeriana Ngozi Okonjo-Iweala, selecionada por um painel para ser a próxima diretora-geral da OMC.

O lobby fora do órgão global de comércio também se intensificou.

Esta semana, mais de 100 organizações da sociedade civil escreveram a legisladores da UE pedindo que eles apoiem a quebra das patentes.

A administradora sênior de política e assuntos jurídicos da instituição de caridade médica francesa MSF, Yuanquiong Hu, afirmou que os dados positivos recentes das vacinas contra Covid-19 de empresas farmacêuticas norte-americanas aumentaram a urgência da quebra das patentes.

“Há um modelo hierárquico, e estão pedindo que os países mais pobres fiquem com as sobras”, disse. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!