COTAÇÃO DE 20-01-2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4160

VENDA: R$5,4170

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,4470

VENDA: R$5,5770

EURO

COMPRA: R$6,1450

VENDA: R$6,1478

OURO NY

U$1.837,83

OURO BM&F (g)

R$321,61 (g)

BOVESPA

+1,01

POUPANÇA

0,6340%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Poliron YOFC instalará planta em Pouso Alegre

COMPARTILHE

" "
Poliron YOFC deve iniciar a produção de fibra óptica no Sul de Minas em meados de 2023 | Crédito: Pixabay

Com investimento de R$ 75 milhões, a empresa Poliron YOFC,  gigante chinesa do setor de fibra óptica, vai construir uma planta em Pouso Alegre, no Sul de Minas. A multinacional informou a decisão, nesta semana, à Agência de Promoção de Investimento e Comércio Exterior do Estado (Indi), que participou do processo de atração do projeto. As obras começam em janeiro de 2022. 

A empresa tem mais de 30 anos de existência e se tornou a líder mundial na fabricação de fibra óptica, cabos de fibras ópticas e diversas soluções para comunicação de dados, incluindo a tecnologia 5G. A empresa também atua em mais de 70 países e possui 7.000 empregados e ações negociadas nas principais bolsas do mundo.

PUBLICIDADE




“A Poliron YOFC procurou o Indi para sondagem referente à localização para construção da fábrica, além dos incentivos tributários e fiscais. Oferecemos quatro opções para a empresa e as melhores condições e fechamos o acordo para que a fábrica escolhesse o nosso Estado”, conta o analista de Promoção de Investimentos do Indi e responsável pelo setor de eletroeletrônicos do Governo de Minas, Renato Matozinhos.

O diretor da Poliron YOFC, Reinaldo Jeronymo, explica que as obras de implantação do parque fabril serão feitas em três etapas. A primeira começa em janeiro do ano que vem, com a terraplanagem do terreno. A construção da planta e implantação de equipamentos deve ser concluída em meados de 2023.  A segunda etapa será uma duplicação dos equipamentos da unidade, o que deve ocorrer entre 2023 e 2024. A última fase é a de produção de cabos ópticos especiais. “A ideia é que a empresa esteja em pleno funcionamento em 2026”, informa.

Ainda de acordo com Reinaldo Jeronymo, a estimativa é de que a fábrica alcance um faturamento de R$ 180 milhões já no primeiro ano de operação. Com a conclusão do projeto, a receita deverá alcançar R$ 400 milhões. 

Escolha – O executivo conta que a escolha por Minas Gerais para a construção do parque fabril foi um ponto determinante na empresa. “Nós escolhemos Pouso Alegre devido à mão de obra qualificada, à oferta e disponibilidade de educação, saúde e logística de qualidade para os nossos colaboradores e funcionários.  A competitividade de mercado e vantagens tributárias que só Minas Gerais oferece. Além da área disponível para construção, é claro”, disse.




A previsão é que a planta inicialmente gere 120 empregos, podendo chegar a 300 postos de trabalho. A indústria atenderá todo o mercado de telecomunicações e de operadoras nacionais.

Renato Matozinhos avalia que a instalação da empresa em Minas Gerais é muito positiva para o Estado, pois atrai novas tecnologias. “Com a abertura do 5G no País, outras empresas que trabalham para desenvolver outros equipamentos utilizados para atender a essa demanda podem vir a procurar o Estado como referência para instalação, o que significa mais investimentos para Minas Gerais”, opina. 

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!