COTAÇÃO DE 23 A 25/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6270

VENDA: R$5,6270

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,8030

EURO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,6750

OURO NY

U$1.792,47

OURO BM&F (g)

R$327,87 (g)

BOVESPA

-1,34

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Produção industrial recua pelo terceiro mês consecutivo

COMPARTILHE

O setor alimentício em Minas, por exemplo, teve um recuo devido ao efeito direto da inflação | Crédito: ALISSON J. SILVA / Arquivo DC

A produção industrial em Minas Gerais registrou um recuo de 0,9% na passagem de julho para agosto. O dado foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A pesquisa aponta que no Estado o setor de veículos automotores e o de alimentos pressionaram a indústria a marcar a terceira taxa negativa seguida, com perda acumulada de 4,6%.

A Coordenadora de Pesquisas Econômicas de Minas Gerais, Cláudia Pinelli, avalia que este é o reflexo do período de incerteza econômica vivenciada no País. “Novamente observamos que o recuo na produção está ligado a incerteza econômica devido à alta na inflação, a mudança no comportamento do consumidor final, a elevação da taxa básica de juros e a inviabilidade na produção industrial devido à falta de alguns materiais em alguns segmentos”, pontua.

PUBLICIDADE

Cláudia Pinelli destaca que a pesquisa mostra que alguns setores que estavam com bons resultados durante a crise pandêmica, agora registram queda na produtividade. “O setor alimentício, por exemplo, teve um recuo devido ao efeito direto da inflação. Com isso, as famílias tiveram que mudar o comportamento, substituir marcas, o que afeta a indústria”, descreve.

Contramão

O setor automotivo, que também está sofrendo com a falta de entrega de matéria-prima, alcançou resultados positivos. “Foi o setor que mais sentiu no início da crise sanitária e, agora, apesar da demanda reprimida, com fila de espera para carros novos e taxa básica de juros elevada, o setor começa a contabilizar bons resultados”, salienta a pesquisadora.

Cláudia Pinelli acrescenta que, com o aumento do dólar, os insumos e a matéria-prima ficam com os custos muito elevados, o que acabam afetando as fábricas. Para o fim do ano, a pesquisadora avalia que apesar da falta de alguns insumos, a produção industrial, que abastece o varejo para o Natal, deverá crescer e o setor fechará o ano no positivo.

Esta avaliação é compartilhada pelo analista da gerência de Economia e Finanças Empresariais da Federação da Indústria do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Marcos Marçal. “Com a ampliação da vacinação, as pessoas deverão sair de casa para consumir e comprar os presentes natalinos. Esses últimos meses, a indústria de transformação começa a fazer as entregas para os empresários do comércio varejista e acreditamos que a indústria fechará o ano no positivo”, opina.

Marçal destaca que na comparação de julho a agosto, a indústria de transformação teve uma queda de 2,6% frente a 2,4%. O setor de veículos chegou a contabilizar perda de 10% para o mês de agosto conforme dados da Fiemg.

“Há escassez de componentes de metal, insumos para veículos. O setor químico também teve uma queda acentuada na produtividade devido à falta de insumos e sem a previsibilidade de normalidade”, explica.

O analista da Fiemg avalia que, devido ao fechamento do ano, a produção industrial voltará a crescer. “Apesar da falta de matéria-prima, a indústria de transformação está empenhada em entregar as encomendas para o comércio para a demanda do Natal. Porém, acredito que os consumidores, que já mudaram os hábitos de consumo, devido a alta da inflação, devem optar pelo setor de serviços nesse fim de ano, por exemplo, viagens, devido a ampliação da vacinação”, pontua Marçal.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!