COTAÇÃO DE 26/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,7610

VENDA: R$4,7610

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,8500

VENDA: R$4,9530

EURO

COMPRA: R$5,1433

VENDA: R$5,1459

OURO NY

U$1.850,86

OURO BM&F (g)

R$284,80 (g)

BOVESPA

+1,18

POUPANÇA

0,6719%

OFERECIMENTO

Economia

Sigma inicia obras da planta de lítio no Jequitinhonha

COMPARTILHE

Na primeira fase, a Sigma vai produzir 220 mil toneladas de lítio puro por ano em Minas | Crédito: Divulgação

A Sigma Mineração começou neste mês a construção da planta comercial para a produção e beneficiamento de lítio nos municípios de Itinga e Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha. Com investimentos na casa de R$ 1,2 bilhão, a unidade vai produzir até 220 mil toneladas ao ano de lítio puro apenas na primeira fase. Em outubro, terminou a captação e catalogação de plantas e animais característicos do Cerrado mineiro.

De acordo com a Chief Strategy Officer e co-presidente do Conselho da Sigma, Ana Gardner, após a preparação e o reconhecimento ambiental do terreno, teve início as obras da unidade greentech. “Para a construção foi feito um milhão de metros cúbicos de terraplanagem. No início tínhamos 90 empregados verdes. Agora são mais 180 empregados verdes empenhados nesta construção”, detalha.

PUBLICIDADE




A Sigma Mineração será a maior unidade tecnológica do mundo no setor mineral produtora de lítio com grau de bateria de alta pureza, recirculação de água em 100% e empilhamento a seco de 100% dos rejeitos.

“A fábrica já nasce sustentável com valores da ESG, preocupação sustentável e ambiental, além de fornecer os insumos para as maiores fabricantes de baterias do mundo que ficam na Europa e nos Estados Unidos. Isso faz com que o Vale do Jequitinhonha tenha mais visibilidade e consiga mais investimentos para o setor”, explica Ana Gardner.

Ana Gardner destaca a geração de empregos no Vale do Jequitinhonha | Crédito: Reprodução / Ibram

Priorizando a regionalidade

A executiva conta que no início do processo de seleção de trabalhadores a campanha foi realizada em rádios, jornais e informativos da região. Muitos trabalhadores voltaram para os municípios para se candidatarem a uma vaga. “As chamadas ‘viúvas do Cerrado’ chamaram seus maridos e filhos para voltarem para o Vale porque a região voltou a ter emprego e renda, e isso é fantástico. Dar essa possibilidade às famílias de se encontrarem novamente”, opina.

Ao todo, são mais de 200 empregos verdes diretos criados pela Sigma atualmente, e, de acordo com a empresa, a expectativa é de que esse número possa avançar caso a produção aumente.

Cronograma

PUBLICIDADE




Agora, a ideia é a de que a construção da planta fique pronta até fevereiro de 2022. Logo após a conclusão, a Sigma Mineração começa a programar a parte tecnológica na empresa. “São equipamentos de última geração, dispositivos eletrônicos que irão automatizar através de algoritmos o desenvolvimento específico para a entrega do lítio de qualidade pura para a produção de bateria de qualidade”, explica Ana Gardner.

Para a segunda fase do projeto de produção, a Sigma Mineração pretende dobrar o tamanho do investimento. “Com um desenvolvimento tecnológico de qualidade, preocupados com as questões ambientais e, principalmente, entregar um lítio com um grau de pureza alto para as maiores produtoras de baterias para carros elétricos do hemisfério Norte, isso acaba revertendo para o Brasil como um benefício muito grande para o Vale do Jequitinhonha”, esclarece. Com a previsão de alta na demanda, a Sigma pretende dobrar o investimento em R$ 2,4 bilhões.  

Cotação do minério de ferro tem queda

Manila – Os contratos futuros do minério de ferro de Dalian atingiram o menor nível em um ano ontem, com as preocupações com a demanda se intensificando devido às restrições à produção de aço da China e ao agravamento da crise de liquidez no setor imobiliário do país.

O contrato do minério de ferro mais negociado de janeiro na Bolsa de Commodities de Dalian fechou em queda de 4,6%, a 536,50 iuanes (US$ 83,85) a tonelada, após atingir 518,50 iuanes na sessão, o menor valor desde 9 de novembro de 2020.

Na Bolsa de Cingapura, o contrato mais negociado de dezembro caía cerca de 3%, para US$ 87,85 a tonelada, no início da manhã (horário de Brasília), após inicialmente cair até 6,9%.

“As restrições à produção (de aço na China) suprimiram as expectativas de armazenamento e reposição (do minério de ferro) no inverno”, escreveram analistas da Zhongzhou Futures Co Ltd em nota. “O escopo da produção limitada durante a estação de aquecimento se expandiu, (enquanto) a manutenção do alto-forno aumentou.”

Os estoques de minério de ferro de porto na China aumentaram para 145,10 milhões de toneladas na semana passada, de acordo com os dados da consultoria SteelHome, sugerindo que a oferta continuará se acumulando, disseram eles.

O aprofundamento da crise de liquidez no setor imobiliário chinês, que responde por cerca de um quarto da demanda doméstica de aço, contribuiu para o clima de baixa antes do prazo para o China Evergrande Group fazer um pagamento de títulos offshore ontem.

O preço spot do minério australiano com 62% de ferro para entrega à principal produtora de aço, China, atingiu uma mínima em 18 meses de US$ 93 a tonelada na terça-feira (9), mostraram dados da SteelHome.

O vergalhão de aço para construção na Bolsa de Futuros de Xangai caiu 1,2%, enquanto a bobina laminada a quente recuou 1,7%, ambos reduzindo as perdas do dia.

O aço inoxidável reverteu as perdas iniciais e fechou em alta de 0,6%.

O carvão metalúrgico de Dalian caiu 3,2% e o coque caiu 3,3%. (Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!