COTAÇÃO DE 23/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,8040

VENDA: R$4,8050

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,8800

VENDA: R$4,9820

EURO

COMPRA: R$5,1166

VENDA: R$5,1182

OURO NY

U$1.853,34`��

OURO BM&F (g)

R$285,51 (g)

BOVESPA

+1,71

POUPANÇA

0,6084%

OFERECIMENTO

Economia Economia-destaque

Lojistas pretendem efetivar temporários

COMPARTILHE

Contratações refletem as expectativas positivas para 2020 - Crédito: Divulgação

Aproximadamente 27,4% dos comerciantes da capital mineira vão contratar profissionais temporários para o período do Natal. Destes, 60,9% deverão efetivar os trabalhadores. Os dados foram divulgados pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH).

Esse cenário, de acordo com o presidente da entidade, Marcelo de Souza e Silva, é fruto das boas expectativas para as vendas do ano que vem e de alguns movimentos positivos relacionados à economia.

PUBLICIDADE




“Temos a macroeconomia ajudando e também as ações pontuais do governo. Podemos citar como exemplo a questão dos juros em baixa, a Selic podendo cair mais um pouco, a inflação controlada, a reforma da Previdência e a possibilidade da reforma tributária, a liberação do saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), entre outros”, diz ele.

Além disso, destaca o presidente da CDL-BH, os próprios estabelecimentos também têm adotado uma postura diferenciada, que atrai os consumidores. “Os vendedores estão sendo qualificados, e os locais estão oferecendo produtos de qualidade com preços diferenciados, descontos reais à vista”, pontua.

Os consumidores, por sua vez, lembra ele, estão comprando com mais consciência, e o endividamento das pessoas está diminuindo, contribuindo também para um cenário mais promissor.

Oportunidade – Marcelo de Souza e Silva ressalta ainda que os setores de comércio e de serviços são, historicamente, uma porta de entrada para o mercado de trabalho e também uma oportunidade para que os desempregados de outros setores consigam obter uma ocupação em um segmento diferenciado, já que pode não haver essa mesma facilidade em suas áreas de atuação de origem.

PUBLICIDADE




Nesse contexto, 89,1% das vagas temporárias oferecidas neste fim de ano serão para o cargo de vendedor. Em seguida, vêm as ocupações de caixa (37,8%), estoquista (20%), repositor (8,2%) e fiscal/vigia (6,4%).

Já em relação aos setores que mais irão realizar contratações estão o de cosméticos e perfumaria (43%), vestuário e calçados (39%) e produtos alimentícios e supermercados (10%).

Entraves – Ainda segundo os dados da pesquisa da CDL-BH, existem alguns desafios na hora da contratação. Um deles está relacionado à ausência de profissionalismo e de responsabilidade dos colaboradores, segundo 36,4% dos entrevistados ouvidos para o estudo da entidade.

Os demais entraves são a falta de experiências dos candidatos (18,2%), falta de capacitação dos candidatos (17,3%), processo seletivo (7,3%), custos (2,7%) e dificuldade em lidar com a comissão (0,9%).

Já 24,5% dos comerciantes afirmam que não têm nenhuma dificuldade e 3,6% não souberam responder.

Outros números – Em uma comparação com 2018, houve crescimento de 46% no percentual de lojistas que pretendem contratar trabalhadores para o fim de ano. Entre esses comerciantes, 82,7% afirmam que a escala de contratação será igual a do ano passado, enquanto 10% dizem que será maior. Já 7,3% afirmam que será menor.

Neste ano, cada lojista deve contratar, em média, quatro empregados temporários, sendo que 51% esperam admitir dois funcionários, 23,5% entre três e quatro e 14,7% acima de sete. Já 10,8% esperam contratar entre cinco e seis.

Os empresários que mais devem contratar, por região, são os das regionais Centro-Sul (41,3%), Venda Nova (40,9%) e Barreiro (35,4%). O presidente da CDL-BH ressalta que esses locais contam com centros comerciais fortes e lojas de diferentes ramos.

Não contratações. Por fim, os números mostram que 72,6% dos lojistas não vão admitir colaboradores para este fim de ano. Os motivos são: quadro atual da empresa atende a demanda da clientela (54%), cenário econômico ruim (22%) e queda nas vendas (13,4%).

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!