As vendas de veículos na Capital subiram 17,32% em setembro | Crédito: Divulgação

As vendas de veículos cresceram 16,97% em Minas Gerais e 17,32% em Belo Horizonte em setembro deste ano em comparação ao mesmo período do ano passado. Os dados foram divulgados ontem pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Ao todo, 61.569 veículos foram comercializados em setembro de 2019 no Estado contra 52.637 no mesmo mês de 2018.

Quando se compara com agosto também houve incremento. A expansão foi de 3,82% em Minas Gerais e de 7,11% em Belo Horizonte.

A maior alta no Estado foi registrada nas vendas dos caminhões, que apresentaram crescimento de 57,20%, em setembro de 2019 em relação a igual período de 2018. Ao todo, 1.157 unidades foram comercializadas no mês passado. Em Belo Horizonte, por sua vez, a maior alta foi nas vendas de ônibus, que tiveram incremento de 193,10%, com 85 unidades vendidas.

Em seguida, as motos foram as que mais se destacaram em Minas Gerais, registrando alta nas vendas de 23,79% e 7.784 unidades vendidas. O segundo lugar em Belo Horizonte, por sua vez, ficou para a categoria “outros” (que não se encaixam em automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motos e implementos rodoviários), com 78,18% e 98 unidades comercializadas.

Automóveis – Em todo o Estado, os automóveis registraram alta de 14,98% na comparação entre setembro deste ano com o mesmo período de 2018, com 43.561 vendas. A alta dos comerciais leves foi de 18,21% e 7.265 unidades comercializadas. Já os ônibus tiveram incremento de 17,04%, com 261 unidades vendidas, enquanto os implementos rodoviários apresentaram crescimento de 22,15%, com 364 unidades, e a categoria “outros” 10,93%, com 1.177 vendas.

Já em Belo Horizonte, em igual comparação, os automóveis registraram incremento de 15,35%, o que representa 35.978 unidades comercializadas em setembro deste ano. Os comerciais leves, por sua vez, apresentaram aumento de 29,40% e 4.872 vendas. Os caminhões cresceram 63,64%, com 180 unidades, enquanto as motos tiveram alta de 18,81% e 1.434 vendas e os implementos rodoviários de 57,14% e 22 unidades comercializadas.

Acumulado do ano – No acumulado do ano até setembro, a maior alta em Minas Gerais foi dos implementos rodoviários, com 93,59% e 3.833 unidades vendidas neste ano. Em seguida, estão os caminhões, com incremento de 49,12% e 8.834 vendas.

Os automóveis registraram incremento de 29,16% e 372.688 unidades comercializadas. Os comerciais leves, por sua vez, 16,67% e 57.208 unidades. Os ônibus apresentaram alta de 23,85% e 2.441 vendas. Já o incremento das motos foi de 11,65%e 68.552 unidades. A categoria “outros” cresceu 1,52%, com 9.593 vendas.

Em Belo Horizonte, a maior alta no acumulado do ano foi registrada nos ônibus, com incremento de 161,31% e 716 unidades comercializadas em 2019. Em seguida vêm os caminhões, com 66,83% e 1.368 unidades vendidas.

Os automóveis tiveram crescimento de 37,17% e 306.455 vendas. Já os comerciais leves apresentaram incremento de 27,90% e 35.387 unidades comercializadas. Motos cresceram 22,44%, com 12.183 vendas, implementos rodoviários 4,91% com 171 unidades vendidas e a categoria outros aumentou 16,84%, com 680 comercializações.

Razões e expectativas – Para o gerente comercial da concessionária Pisa Ford, Antônio Longuinho, “esse crescimento se deu em função de as pessoas estarem acreditando mais em um País melhor”.

De acordo com o profissional, há um otimismo maior em relação à economia, o que está estimulando o consumo. “As expectativas são ainda melhores para os próximos meses”, relata.

O gerente de vendas corporativas e varejo da Nova Catalão, concessionária Volkswagen, Dione Silva, credita o aumento das vendas também à Selic em baixa. “Há mais confiança no mercado, tanto por parte dos investidores, quanto dos consumidores”, salienta ele.

Emplacamentos no Brasil crescem 11,4%

São Paulo – As vendas de veículos tiveram alta de 11,4%, de janeiro a setembro de 2019, na comparação com o mesmo período do ano passado. Considerando automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros, foram emplacados 2.952.485 veículos no período. Os dados foram divulgados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

No mês de setembro, 336.991 veículos novos foram comercializados, o que representa 12,48% de crescimento sobre o volume registrado no mesmo período de 2018, quando foram vendidos 299.605 veículos. Entretanto, na comparação com as 347.084 unidades registradas em agosto deste ano, houve leve queda, de 2,91%.

Para o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, o mercado, ao final do terceiro trimestre, apresentou comportamento positivo, compatível com as expectativas da entidade.

“O mercado continua estável, mas ainda em clima de espera, principalmente, por conta da realização das reformas necessárias, como notamos nos últimos meses. A leve retração, observada no mês de setembro, foi consequência de um dia útil a menos de vendas (21 dias em setembro, contra 22 dias úteis em agosto). Assim, ao consideramos o desempenho do mercado, em dias úteis, as vendas cresceram 1,9%”.

Os segmentos de automóveis e de comerciais leves, no acumulado dos nove primeiros meses, apresentaram crescimento de 8,75%, totalizando 1.935.013 unidades. Apenas em setembro, estes segmentos apontaram alta de 9,07%, na comparação com o mesmo mês do ano passado. Contudo, na comparação com agosto, houve leve retração, de 3,24%.

Outros segmentos – As vendas de caminhões, no acumulado de janeiro a setembro, mantiveram o ritmo de recuperação observado ao longo do ano, alcançando 74.747 unidades, o que representa 40,65% acima do volume registrado no mesmo período de 2018.

“Para os modelos pesados e extrapesados, é o agronegócio que está puxando para cima, as vendas. Contudo, já começamos a observar uma retomada das atividades da indústria de papel e celulose e da construção civil, além do aumento de frotas próprias, de algumas empresas, e da renovação de frota das transportadoras”, comentou o vice-presidente da Fenabrave para o segmento de caminhões, ônibus e implementos rodoviários, Sérgio Zonta.

Em setembro, foram vendidos 9,3 mil caminhões, 38,76% de crescimento sobre igual mês do ano passado. Na comparação com agosto, a retração foi de quase 3%, por conta de menos dias úteis para emplacamento, em setembro.

As vendas de implementos rodoviários de janeiro a setembro seguiram o mesmo compasso de caminhões, somando 47.725 unidades, mais de 50% acima das vendas de iguais meses de 2018. No mês de setembro, este mercado alcançou 5.215 unidades emplacadas, crescimento de 42,6% sobre o mesmo período do ano anterior, mas, 9,15% de retração, ante agosto.

O segmento de ônibus segue em alta no ano, quase 47% no acumulado dos nove primeiros meses, totalizando 19.830 unidades emplacadas. Os emplacamentos de setembro alcançaram 2.323 unidades, avanço de 20% sobre o mesmo mês de 2018, mas 14,25% abaixo do volume de agosto, por conta da sazonalidade das compras.

O segmento de motocicletas apontou avanço de 14,43% no acumulado até setembro, com 796.615 unidades emplacadas. Em setembro, foram emplacadas 87.744 motocicletas, 18,45% de alta sobre o mesmo mês do ano passado, mas retração de 1%, ante agosto, em função de um dia útil a menos.

As vendas de tratores e máquinas agrícolas, no varejo, de janeiro a agosto, somaram 28.128 unidades, queda de 9% ante o acumulado dos oito meses de 2018. As vendas de setembro ficaram 15,4% abaixo do volume de setembro do ano passado, totalizando 4.297 unidades. Na comparação com agosto, este volume foi 15,5% superior. (ABr)