COTAÇÃO DE 25/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,8200

VENDA: R$4,8210

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,8900

VENDA: R$5,0160

EURO

COMPRA: R$5,1520

VENDA: R$5,1546

OURO NY

U$1.853,68

OURO BM&F (g)

R$287,13 (g)

BOVESPA

-0,98

POUPANÇA

0,6724%

OFERECIMENTO

Dia das Mães Especial

Com os benefícios certos, mulheres conciliam maternidade e carreira sem sacrificar a saúde financeira

COMPARTILHE

Crédito: Freepik

Embora 60% das brasileiras estejam inseridas no mercado de trabalho, de acordo com uma pesquisa feita pelo Fórum Econômico Mundial em 2020, os desafios enfrentados pelas mulheres ainda são gigantescos, especialmente para aquelas que se tornam mães.

Além da dupla jornada de trabalho enfrentada pela maioria e dos desafios que a maternidade ainda representa à progressão de carreira, as mães precisam revisitar o planejamento financeiro para adequar os gastos à nova realidade. De acordo com um estudo feito em 2020 pela Onze , fintech de saúde financeira e previdência privada, remanejar os gastos para garantir um futuro financeiro mais confortável pode ser especialmente mais difícil para o público feminino, tendo em vista que há mais mulheres (64%) ganhando até três salários mínimos do que homens (50%).

PUBLICIDADE




Outra pesquisa mais recente da fintech também concluiu que a situação financeira das mulheres piorou de forma mais acentuada que a dos homens no último ano, desencadeando medidas paliativas como a solicitação de auxílio emergencial do governo e a ajuda de familiares.

Com as finanças mais prejudicadas, as trabalhadoras brasileiras também sentiram mais os efeitos do estresse nos últimos 12 meses. O primeiro motivo apontado foi dinheiro, seguido por trabalho e saúde.

Embora a chegada de um novo membro cause euforia na família, é preciso manter o lado racional e colocar na ponta do lápis todas as despesas, como fez a diretora de risco e compliance da Onze, Mariane Hotta. “Com a maternidade passei a me planejar melhor financeiramente, eliminando gastos com passeios, viagens e restaurantes e adotando uma disciplina com metas de reserva financeira para cada ano. Além disso, contratei seguros de vida com receio de que eu possa faltar em algum momento”.

Quase dez anos após o nascimento do primeiro filho, Hotta colhe os frutos de um planejamento financeiro bem feito. “Após quase uma década poupando um pouco todos os meses, é nítido o impacto da disciplina financeira junto aos juros compostos. Ter uma reserva de investimentos traz mais tranquilidade ao dia a dia e nos deixa mais preparados para enfrentar imprevistos como crises financeiras e desemprego”, pontua.

PUBLICIDADE




O analista de investimentos da Onze, Samuel Torres, ressalta a importância de pensar em um futuro distante. “O ideal é fazer um planejamento financeiro a longo prazo, estimando os gastos com os filhos a cada ano, pois podem haver acréscimos relevantes à medida que as crianças crescem. Também é importante estruturar reservas para grandes gastos futuros, como intercâmbio e faculdade. A longo prazo, investir em fundos de previdência e no Tesouro IPCA+ são boas opções”.

Com o propósito de incentivar a construção de patrimônio e a adoção de hábitos financeiros mais saudáveis, a Onze oferece para seus colaboradores e para os colaboradores de seus clientes soluções de saúde financeira totalmente digitais e personalizadas, que incluem check-ups periódicos, consultas individuais com especialistas e uma plataforma com centenas de conteúdos que respondem todas as dúvidas importantes sobre finanças. O suporte funciona como uma rede de apoio onde profissionais que são mães encontram respaldo para organizar melhor o orçamento familiar.

Trabalho Remoto

Mas a situação financeira não é a única a preocupar as mães. O home office também expôs a inflexibilidade de horários e hábitos que prejudicam a rotina de trabalho de quem se desdobra para dar conta das demandas do serviço e dos filhos em casa neste período pandêmico.

De acordo com uma pesquisa feita em abril pela empresa de recrutamento Robert Half com 2.379 profissionais, 54% dos respondentes acreditam que a melhor forma de demonstrar apoio às trabalhadoras que são mães é estabelecer jornadas mais flexíveis, opinião compartilhada por Mariane Hotta.

“Principalmente durante a pandemia, é importante que as empresas deem mais flexibilidade de horário às colaboradoras mães e se esforcem para compreender os desafios que cada uma enfrenta em sua casa para conciliar a vida profissional com a maternidade. Estamos lidando com um aumento na carga de trabalho não apenas com o ensino à distância das crianças, mas com a redução na ajuda com as tarefas domésticas e, com possíveis enfermos e óbitos na família”, finaliza.

Por isso, é importante escolher bem (e atualizar) os benefícios oferecidos aos colaboradores. É preciso levar em conta seus desafios diários e suas necessidades. Ferramentas que incentivam a saúde financeira, além do auxílio-creche e licença com o mesmo período de duração para pais e mães são alguns dos benefícios que fazem a diferença na produtividade e no engajamento dos funcionários com a empresa.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!