COTAÇÃO DE 17/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,9420

VENDA: R$4,9430

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,0400

VENDA: R$5,1520

EURO

COMPRA: R$5,2307

VENDA: R$5,2334

OURO NY

U$1.814,77

OURO BM&F (g)

R$290,29 (g)

BOVESPA

+0,51

POUPANÇA

0,7025%

OFERECIMENTO

Finanças zCapa

Índice que reajusta aluguéis fica estável no 2º decêndio de fevereiro

COMPARTILHE

Crédito: EBC

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), não registrou variação no segundo período de 10 dias de fevereiro.

A tomada de preços foi feita entre 21 de janeiro e 10 de fevereiro e comparada com a coleta feita entre 21 de dezembro e 20 de janeiro. No período anterior, a taxa havia subido 0,57%. O índice, que reajusta os contratos de aluguel, foi divulgado nessa terça-feira (18) pela FGV.

PUBLICIDADE




Entre os componentes do IGP-M, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) teve variação negativa, passando de 0,67% para -0,15%. Por estágios de processamento, os bens finais caíram 1,18% no segundo decêndio de fevereiro, depois de subir 0,70% no período.

A principal contribuição foi do subgrupo alimentos processados, com a taxa passando de 1,28% para -3,29%.

Os bens intermediários variaram -0,12%, depois de subir 1,24% no período anterior, com destaque para o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, cuja taxa foi de 4,70% para -2,77%. Para o grupo matérias-primas brutas, a taxa ficou em 0,92% em fevereiro, frente ao 0,03% de janeiro.

Os destaques no grupo foram os itens minério de ferro (0,24% para 3,80%), bovinos (-5,39% para -2,23%) e mandioca (-3,59% para 5,49%). As maiores quedas foram registradas nos itens soja em grão (-1,38% para -3,34%), café em grão (0,03% para -7,33%) e suínos (3,58% para-7,42%).

PUBLICIDADE




O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,25% no segundo decêndio de fevereiro, ante 0,45% da coleta anterior, com cinco das oito classes de despesa apresentando decréscimo.

Alimentação passou de 1,22% para 0,25%, transportes foram de 0,89% para 0,15%, vestuário passou de 0,44% para -0,31%, Despesas diversas foram de 0,30% para 0,16% e comunicação passou de 0,16% para 0,04%.

As maiores baixas foram registradas nas carnes bovinas (2,74% para -4,38%), na gasolina (2,52% para -0,42%), nas roupas (0,32% para -0,35%), nos serviços bancários (0,33% para 0,10%) e na TV por assinatura (1,02% para 0,13%).

Tiveram aumento as classes educação, leitura e recreação (0,01% para 1,44%), habitação (-0,20% para -0,08%) e saúde e cuidados pessoais (0,37% para 0,41%). As maiores influências foram das passagens aéreas (-9,58% para 4,95%), eletricidade residencial (-1,24% para -0,83%) e artigos de higiene e cuidado pessoal (0,46% para 0,69%).

Último componente do IGP-M, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,44% no segundo decêndio de fevereiro, após alta de 0,17%. Materiais e equipamentos passaram de 0,20% para 0,86%, serviços foram de 0,23% para 1,02% e mão de obra passou de 0,14% para 0,06% no período.

(Agência Brasil)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!