Apoiado pelo Sebrae Minas, projeto leva inovação para os negócios da Região dos Inconfidentes | Crédito: Divulgação/Valin

A fim de unificar ações em busca de diversificar e apoiar a retomada da economia da Região dos Inconfidentes no período pós-pandemia, foi assinado na tarde dessa quinta-feira (30) um termo de parceria por parte do prefeito de Mariana para a realização do Corredor Mineiro de Inovação.

O município é o terceiro a firmar esta parceria, que já conta com as assinaturas dos prefeitos de Ouro Preto (23/07) e Itabirito (28/07). O projeto é uma realização do Ecossistema Local de Inovação Vale dos Inconfidentes (ValeIN), em parceria com o Sebrae Minas.

De acordo com o analista do Sebrae Minas Luis Paulo Nascimento, o projeto servirá como uma ligação entre os municípios, a fim de transformar a região em base para um Arranjo Produtivo Local (APL) do segmento de tecnologia.

“A ideia é promover investimentos em infraestrutura, educação e articulações que façam com que as cidades de Itabirito, Mariana e Ouro Preto se tornem mais resilientes. Os prefeitos dos três municípios já foram sensibilizados e a ideia tem grandes chances de começar a sair do papel ainda neste ano”, destaca.

O projeto – Lançado na última semana, o Corredor Mineiro de Inovação, assim como o Cambridge Cluster, o Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development (Seed) ou o Corredor de Inovação do Espírito Santo, conectará academia, governo, iniciativa privada e pequenos e médios empresários, visando a proporcionar um ambiente colaborativo de fomento às ideias inovadoras para a Região dos Inconfidentes. Com isso, será possível gerar a sinergia necessária para que a inovação seja a fonte de mudança da matriz econômica dos municípios.

“Aproveitaremos tanto as características locais como a proximidade geográfica à capital de Minas, e a presença de multinacionais e da Fundação Renova – que tem a responsabilidade de investir grandes recursos financeiros na região -, quanto características temporais, como a aceleração de uma transformação digital causada pela pandemia do coronavírus, para nortear diversas ações e projetos do Corredor”, afirma o fundador e Community Manager do Valin, Kelson Douglas.

Segundo ele, no campo prático, já há diversos resultados obtidos na região no campo de tecnologia e inovação e que apontam a adoção facilitada das ações do projeto, como:

Comunidade de startups e empresas de base tecnológica (Valin) reconhecida pelo Estado e por associações de relevância, como a ABstartups;

Número considerável de empresas de base tecnológica, originadas e em operação na região – mapeadas pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais em Mariana e Ouro Preto;

Número relevante de eventos de inovação acontecendo na região, tanto por meio da comunidade quanto da universidade (como as edições locais do Startup Weekend e alguns projetos ligados à Universidade Ferderal de Ouro Preto – Ufop);

Lei de incentivo à inovação já aprovada em Ouro Preto, assim como o início das operações do Parque Tecnológico da cidade.