COTAÇÃO DE 24/01/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5030

VENDA: R$5,5030

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,4870

VENDA: R$5,6630

EURO

COMPRA: R$6,2080

VENDA: R$6,2103

OURO NY

U$1.842,90

OURO BM&F (g)

R$323,72 (g)

BOVESPA

-0,92

POUPANÇA

0,5845%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Internacional

Boris Johnson vai propor novamente antecipação das eleições gerais

COMPARTILHE

" "
Crédito: Reuters/Direitos Reservados

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson vai encaminhar nesta terça-feira (29) projeto de lei que propõe, mais uma vez, a realização de eleições antecipadas, comprometendo-se desta vez com a data de 11 de dezembro.

A tentativa de quebrar o impasse em torno do Brexit surge um dia depois de os membros do Parlamento terem rejeitado eleições gerais para o dia 12 de dezembro.

PUBLICIDADE




A “breve proposta de lei”, como chamou Boris Johnson, sugere uma nova votação dos deputados sobre eleições antecipadas que apenas necessitará de uma maioria simples para ser aprovada, em vez de maioria de dois terços, como aconteceu na segunda-feira (28).

Ainda assim, o primeiro-ministro precisa do apoio de pelo menos alguns deputados dos partidos da oposição que lhe viraram costas nessa segunda-feira (28), nomeadamente o Partido Trabalhista, os Liberais Democratas e o Partido Nacional Escocês, que optaram pela abstenção ou por votar contra.

Esse apoio deverá estar agora garantido, depois de o líder trabalhista, Jeremy Corbyn, declarar esta terça-feira que a condição que tinha imposto para apoiar eleições antecipadas – a de uma garantia de que um Brexit sem acordo não acontecerá – foi aceita.

“Eu frisei consistentemente que estávamos prontos para eleições e que o nosso apoio apenas dependia da garantia de que o Brexit sem acordo não iria acontecer”, declarou Corbyn, de acordo com membros do seu gabinete.




“Soubemos agora pela União Europeia que a extensão do Artigo 50 até 31 de janeiro foi confirmada”, explicou. “Iremos agora avançar com a campanha mais radical e ambiciosa para uma mudança real que o nosso país jamais viu”.

O apoio dos Liberais Democratas e do Partido Nacional Escocês também deverá estar garantido, uma vez que estes dois partidos já tinham proposto a data de 11 de dezembro em vez de dia 12 para a realização de eleições, sugestão a que Boris Johnson decidiu ceder.

(Agência Brasil)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!