COTAÇÃO DE 17/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2820

VENDA: R$5,2820

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3100

VENDA: R$5,4500

EURO

COMPRA: R$6,2293

VENDA: R$6,2322

OURO NY

U$1.754,86

OURO BM&F (g)

R$298,96 (g)

BOVESPA

-2,07

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Colunistas Legislação

O papel do afroempreendedorismo e do “Black Money” no movimento afrofuturista

COMPARTILHE

Crédito: Fernando Frazão / Agência Brasil
* Professora universitária, doutoranda no Programa de Pós-graduação da Faculdade de Direito da UFMG e membra da Comissão de Apoio à Micro e Pequenas Empresas da OAB/MG
Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

 Por afrofuturismo há que se compreender o conjunto de estratégias disruptivas que projetam para além, comportamentos, performances e estratégias atreladas à emancipação e ressignificação do corpo negro no espaço coletivo, sem se desconectar, porém, com elementos ancestrais e afromitológicos. Trata-se de um movimento multidimensional que trafega pelo campo das artes plásticas, da política, da filosofia, da mitologia africana, da história diaspórica, da ciência, dentre outros. Permitindo uma interface entre temáticas e abordagens que ressignificam o lugar social, político, artístico, científico e econômico do negro no presente e no futuro.

Embora o movimento afrofuturista, que tem seu berço nos EUA, tenha emergido na década de 1960, destacado por músicos, artistas e escritores, como Sun Ra, Grace Jones, Jimi Hendrix, Miles Davis, Octavia Butler, Basquiat, dentre outros, é a partir da década de 1990 que ganha proporções mais robustas e passa a ser nominado como o conhecemos hoje. Passando, assim, a ser considerado importante contributivo para o reposicionamento socioeconômico de afrodescendentes, abrindo caminhos para um futuro negro.

PUBLICIDADE

Neste cenário, faz-se fundamental estabelecer uma relação entre afroempreendedorismo, “Black Money” e movimento afrofuturista. Não há como deixar de se observar elementos afrofuturistas nas concepções e práticas atreladas ao movimento afroempreendedor. Do mesmo modo também é possível vislumbrar traços afrofuturistas no movimento “Black Money”.

À medida que os conceitos que conformam o afroempreendedorismo, e que foram construídos e expostos em meu livro “O Lado Negro do Empreendedorismo: Afroempreendedorismo e Black Money”, vão se estruturando, é fácil perceber que o ato de empreender realizado por negros e negras comporta um movimento emancipatório, transgressor e futurista. Futurista à medida que estabelece possibilidades de uma existência mais saudável, menos opressiva e perigosa para corpos negros. O afroempreendedorismo desobstaculiza caminhos de um grupo étnico oprimido e invisibilizado. Propõe novos horizontes e expande espaços de circulação socioeconômica e política.

Em relação ao “Black Money” as mesmas considerações se fazem válidas. As estratégias apresentadas nas diversas vertentes deste movimento, e que foram explicitadas nesta obra, demonstram que por este caminho surgem ferramentas capazes de levar o corpo negro adiante, de permiti-lo almejar um futuro digno e satisfatório. Introduzindo num grupo étnico, cujos sonhos e projeções foram castrados há séculos, a potência de vislumbrar um amanhã, um universo de possibilidades.

Diante de todo o exposto, não restam dúvidas de que afroempreendedorismo e “Black Money” são importantes estratégias afrofuturistas. Ambos delineam um porvir negro.

É inegável, portanto, que os dois conceitos centrais aqui expostos, afroempreendedorismo e “Black Money”, são impactantes componentes de um movimento afrofuturista. Ambos criam possibilidades para um futuro negro. Para diversos futuros. Para afrofuturos.

Neste sentido, a Comissão de Apoio Jurídico às Micro e Pequenas Empresas está ciente de seu papel de colaboradora na produção e consolidação de um afrofuturo, estabelecendo-se como ponto de apoio institucional para empreendedores atravessados por marcadores de raça, classe, gênero e sexualidade que os coloque em posição de se articular e de buscar caminhos que potencializem futuros e materializem possibilidades.

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!