COTAÇÃO DE 17/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2820

VENDA: R$5,2820

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3100

VENDA: R$5,4500

EURO

COMPRA: R$6,2293

VENDA: R$6,2322

OURO NY

U$1.754,86

OURO BM&F (g)

R$298,96 (g)

BOVESPA

-2,07

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Colunistas Legislação

O que é investimento anjo e o que o investidor precisa saber sobre a minha empresa?

COMPARTILHE

Crédito: Pexels
*Presidente da Comissão de Apoio Jurídico às Micro e Pequenas Empresas da OAB/MG
Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

Todo empreendedor sabe das dores de empreender e chega um momento em que é necessário buscar um aporte de capital para poder alavancar seu negócio e muitos empresários recorrem apenas às instituições financeiras, não sabendo que existem outras opções no mercado. Você já ouviu falar em investimento anjo?

O investimento anjo pode ser feito por uma pessoa física ou por pessoa jurídica em uma empresa iniciante com alto potencial de crescimento. O investidor anjo não é sócio da empresa nesse momento (pode vir a ser!), mas contribui com, além do capital, com sua expertise para o desenvolvimento do negócio. O retorno do investimento e todas as condições do negócio devem ser formalizadas em contrato específico, vez que existe uma lei complementar que regula essa figura do investimento anjo (Lei Complementar 155/2016).

PUBLICIDADE

Essa lei complementar trouxe segurança para o investidor investir nas empresas pois regulamentou esse tipo de investimento. Por exemplo, o investidor não será considerado sócio nem terá qualquer direito a gerência ou voto na administração da empresa e não responderá por qualquer dívida da empresa. Além disso, esse aporte feito pelo investidor não interfere no porte da empresa para fins de enquadramento como microempresa ou empresa de pequeno porte, ou seja, os valores aportados não são considerados receitas da empresa.

Mas será que você sabe exatamente o que o investidor anjo gostaria e precisa saber sobre sua empresa para investir?

1) Qual o seu produto/serviço? O empreendedor deve apresentar de forma clara o produto/serviço que se propõe a vender/prestar e o motivo do seu negócio ser inovador.

2) Qual o seu modelo de negócio? O empresário deve demonstrar claramente como o seu negócio pode funcionar (ou já funciona) e como ele é rentável.

3) Mostre qual é o mercado em que atua e o segmento de clientes do seu produto/serviço.

4) Qual o potencial de internacionalização da sua ideia? Esse é um aspecto do que se entende como escalável. Ideias globais são mais interessantes, por isso soluções digitais têm sido mais procuradas pois não tem fronteiras.

5) Quanto vai custar e quais são as necessidades de financiamento? É preciso saber exatamente qual o custo inicial da empresa, tanto de estruturação quanto de operacionalização.

6) Qual a lucratividade do negócio e o tempo de retorno do investimento? Para se ter uma ideia da lucratividade do negócio, ainda no início, é preciso que seja feito um plano de negócios, o que muitas vezes é negligenciado pelos empresários, que querem começar logo, muitas vezes sem planejamento.

Com todos esses elementos estruturados fica mais fácil apresentar sua empresa para o investidor e conseguir um parceiro para desenvolvimento do seu negócio. Se sua empresa já está estruturada, mostrar os números e a organização fica mais fácil ainda.

Outro ponto muito importante e que tem sido um diferencial para investimento é se a empresa se preocupa com os critérios de ESG.ESG é uma sigla para Environmental, Social and Governance (Ambiental, Social e Governança, em tradução).

As empresas que se preocupam com esses pilares são mais admiradas pelos consumidores e apresentam melhores resultados a longo prazo. Além disso, tem sido cada vez mais um critério de escolha para os investidores e critério para escolha de fornecedores para grandes empresas.

Environmental (Ambiental) se refere a como a empresa lida com questões de sustentabilidade como descarte de materiais poluentes, eficiência energética, poluição do ar e água etc.

Social diz respeito a como a empresa lida com clientes, funcionários, colaboradores e a sociedade. Aqui há uma preocupação com as condições de trabalho, satisfação do cliente, direitos humanos, ações sociais e voluntariado ou seja, como a empresa interage com a sociedade da qual participa.

Governance (Governança) trata-se de como a empresa adota as melhores práticas de Gestão Corporativa. Nesse pilar observa-se a empresa respeita os códigos de ética e conduta, se garante a equidade, a prestação de contas, a transparência, canal de denúncias, a diversidade.

Portanto, em que pese o assunto deste artigo ser investimento anjo, as políticas de orientações das empresas ultrapassam os investimentos anjos e se aplicam a todos os tipos e portes de investimentos. O comportamento das empresas mudou, a cobrança da sociedade por empresas sustentáveis está mais presente, sejam elas pequenas ou grandes. Pense nisso.

Serviço

1 – Como consultar a OAB de um advogado?
Para consultar a OAB de um advogado basta ir em serviços/consulta/ inscrição no site da OAB/MG.
2- Qual o valor da anuidade da OAB MG?

3 – Quantos advogados têm em Minas Gerais?
O número de advogados de MG está em portal da transparência/quantidade de inscritos. O número hoje: 111970 advogados e 4002 estagiários

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!