COTAÇÃO DE 26/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5720

VENDA: R$5,5730

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5900

VENDA: R$5,7230

EURO

COMPRA: R$6,4654

VENDA: R$6,4683

OURO NY

U$1.793,01

OURO BM&F (g)

R$321,20 (g)

BOVESPA

-2,11

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

exclusivo Negócios Negócios-destaque

Azul volta a operar rota Uberlândia-Campinas

COMPARTILHE

Crédito: Divulgação

A rota operada pela Azul, que liga Uberlândia, no Triângulo, a Campinas (SP), volta a funcionar em 31 de maio. A reativação visa atender, principalmente, clientes do Triângulo, Alto Paranaíba e Sul de Goiás.

Para Campinas, as ligações acontecerão quatro vezes por semana, com as aeronaves modelo ATR 72-600, que podem levar até 70 clientes. Além disso, a partir de 24 de maio, a rota que liga Uberlândia a Belo Horizonte vai operar em novo horário, com frequências diárias de segunda à sexta-feira.

PUBLICIDADE

Assim como para o interior de São Paulo, com o ajuste de horário na rota para a Capital, os clientes de Uberlândia poderão viajar e retornar no mesmo dia para sua cidade. O voo, que estava sendo operado no fim da manhã, passa a ter decolagens da Capital à noite e do interior pela manhã.

De acordo com o gerente de planejamento de malha da Azul, Vitor Silva, Uberlândia e Montes Claros (Norte de Minas) fazem parte do grupo de cidades denominadas “essenciais” que continuaram a ser atendidas pela companhia, mesmo que em escala mínima durante a pandemia.

A ampliação no número de rotas e de destinos faz parte de uma estratégia que visa à adequação do atendimento e a preparação para uma volta completa das operações de maneira planejada e de longo prazo.

“Quando a pandemia começou, no meio de março, a primeira reação foi entrar em contato com a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e, a partir disso, criamos a malha essencial. A aviação não pode simplesmente parar porque em um avião não vão só pessoas, vão também cargas importantes. A Anac coordenou esse processo entre as empresas. Agora a ideia é ir ajustando os horários, oferecendo um produto de melhor qualidade aos nossos clientes”, explica Silva.

A escolha de Campinas é por ser o Aeroporto de Viracopos o principal hub de conexões da Azul. Nele os passageiros têm uma gama de destinos que continuam operando à disposição. E a escolha de Uberlândia para esse primeiro passo foi o próprio dinamismo econômico da cidade, sede de importantes empresas de diferentes setores e cidade-polo de uma das regiões economicamente mais desenvolvidas do Estado.

“Uberlândia é tão dinâmica, é tanta gente que precisa do voo, de conexões, que valia a pena ter os dois destinos (Campinas e Belo Horizonte). Em um raio de até 150 quilômetros, estamos falando de uma população que passa de um milhão de habitantes e com um PIB por pessoa alto. A expectativa é tornar esses voos diários. Queremos voltar o quanto antes. Temos na região uma presença grande da Azul Viagens, isso facilita as coisas. Na última temporada, chegamos a operar quatro voos entre Uberlândia e Porto Seguro em um só dia”, destaca o gerente de planejamento de malha da Azul.
A malha essencial servida pela companhia começou com 70 voos diários. Atualmente, são 100 voos e a expectativa é chegar a 170. Cidades mineiras como Araxá (Alto Paranaíba), Uberaba (Triângulo), Divinópolis (Centro-Oeste) e Ipatinga (Vale do Aço) fazem parte dos planos de reabertura de rota, ainda que seja com aeronaves menores.

“Atendemos 10 cidades em Minas que, nesse momento, estão com as atividades paradas ou muito reduzidas. Nosso plano é voltar a operar normalmente o quanto antes, mas dentro de todos os protocolos e prazos de segurança estabelecidos pelas autoridades. Acreditamos que algumas vamos poder atender com o mesmo tipo de aeronave que fazia o programa ‘Voe Minas’ e ir crescendo de acordo com a demanda. Tudo isso vai ser estudado e implantado de acordo com o caminhar da crise no Brasil e em cada região”, pontua o executivo.

Para garantir a saúde de colaboradores e passageiros, a Azul segue reforçando a limpeza de todas as aeronaves a cada voo e à noite, de acordo com os processos estabelecidos pela Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, sigla em inglês para International Air Transport Association), além de obrigar o uso de máscaras por tripulantes e clientes, a bordo e em solo.

Kits com luvas, álcool em gel e lenço umedecido abastecem os aviões a cada novo voo e estão à disposição para uso dos passageiros e colaboradores. Além disso, a companhia tem usado descontaminantes bactericidas que contam com um princípio ativo que elimina o vírus do Covid-19 em 99,99% dos casos.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!