Cinco máscaras

Qual seria o impacto mundial com a descoberta da cura de todas as doenças?! Com medo que a informação caísse em “mãos erradas”, seis cientistas esconderam esse tesouro a cinco chaves. Quem revela esse cenário que, infelizmente, está presente somente na literatura, é o jornalista e tradutor Carlo Antico, na obra Cinco Máscaras.

Prince Lafitte, personagem principal dessa história, é apaixonado por bandeiras desde criança. Na vida adulta o hobby virou profissão: a vexilologia, estudo de bandeiras, é a realização profissional do protagonista. Não podia ele imaginar que o conhecimento seria essencial na busca de uma lenda perdida.

Tal busca inicia após Prince perder uma de suas melhores amigas para o câncer e, ainda de luto, descobrir que outro companheiro terá de enfrentar a mesma luta pela vida.

A única chance de salvar o amigo é seguir pistas espalhadas pelo mundo e usar toda a sua experiência como vexilologista. O objetivo é encontrar cinco máscaras, chaves que abrem um tesouro escondido que guarda a cura.

História, mistério, fantasia e ação recheiam a obra Cinco Máscaras, segundo livro do autor e primeiro título publicado no Brasil. “Straight and Lethal”, produção que lançou Carlo nos Estados Unidos, ganhou o NABE Pinnacle Awards, premiação literária do Estado do Oregon. (Cinco Máscaras, Carlo Antico, Editora Labrador, 207 páginas, R$ 39,60)

A Gôndola Vermelha

O romance de estreia da jornalista Andreia Salles, A Gôndola Vermelha conta com todos os elementos de uma boa trama, na linha tradicional das estórias trágicas de época: personagens fortes, drama, tensão e muita paixão. O texto harmoniza uma pesquisa cuidadosa sobre cenários e hábitos da poderosa Veneza do século XVI, centro comercial de uma Europa pré-continental, politicamente falando.

Com uma linguagem coloquial, o romance deixa o leitor ter o melhor dos dois mundos. As páginas o transportam para outro momento da história, mas permitem que o leitor se identifique com os personagens, que poderiam ser um amigo (ou rival) nos tempos de hoje. Por vezes, é possível sentir o balanço das gôndolas, a brisa de um passeio no Gran Canale e, em outros trechos, se inteirar sobre o impacto da política da época sobre a vida das pessoas, comuns ou da alta sociedade.

Os bailes de máscara no Carnaval veneziano ganham novos elementos no imaginário do leitor. Repleto de trechos picantes detalhando os momentos íntimos do romance de Isabelle e Giovanni, é impossível ao leitor não se envolver na estória dos dois e não torcer pelo relacionamento acidental, ainda que ambos não tenham medido as consequências de uma conquista de baile de máscaras. (A Gôndola Vermelha, Andreia Salles, 185 páginas, R$ 19,90 – e-book) / R$ 43 – impresso)

Szabo: mistério e ação em quebra-cabeça de 342 páginas

As habilidades secretas de espionagem e investigação tornaram-se inúteis para Carlos Marcondes na busca por um novo emprego. O jogo vira quando o ex-agente secreto é acusado de assassinato enquanto trabalha como motorista particular de um milionário. O quebra-cabeça dessa trama é montado nas 342 páginas de Szabo, lançamento do escritor carioca Gino Netto.

Carlos precisa desvendar os mistérios por trás do crime antes que seja preso pela polícia espanhola. O vilão dessa história é o grande mistério por trás de Szabo: diante do cenário apresentado pelo autor, todos são suspeitos! A trama cheia de reviravoltas, corrupção, mentiras e vinganças ganha destaque com a viagem de Marcondes a Madri para prestar serviços de acompanhante a Gigia, amiga do seu chefe e personagem chave na história.

Outros nomes também compõem os conflitos da trama, como um assassino misterioso, um inspetor da polícia espanhola e pessoas que se escondem atrás do poder social. A ex-chefe do protagonista também é elemento fundamental do enredo, pois é ela quem envia para Marcondes uma missão que apenas a ele é confiada.

Com uma personalidade duvidável e moral questionável, Carlos Marcondes ganha a admiração e empatia dos leitores. Os elementos tecnológicos são outro ponto da produção que chama a atenção do público. Unida ao mistério e ação, a produção torna-se um Thriller perfeito para os amantes do gênero. (Szabo, Gino Netto, Editora Autografia, 342 páginas, R$ 49,90)

Dentro de Casa: olhar de criança sobre a quarentena inspira livro infantil

“Escrevi esse livro porque como mãe me sentia triste por não poder deixar meu menino brincar na rua, na terra, com os coleguinhas por causa da quarentena. Mas descobri que ele via tudo muito diferente e nossa casa acabou virando um mundo”, explica Bruna Lubambo, autora do livro “Dentro de Casa”, da Editora Aletria.

A obra nos apresenta o olhar sensível de criança sobre a experiência do isolamento social na pandemia, a partir da história de um menino que viu sua casa abrigar lagoas, montanhas, pomares e muitas aventuras. O livro foi produzido como o título diz: dentro de casa. Isso porque, além de escrever a história, Bruna também ilustrou a obra ali mesmo na sala de casa, utilizando tinta acrílica e giz.

Ela mora com o marido e o filho em Belo Horizonte e foi nesse mesmo espaço que a obra também ganhou trilha sonora para a versão do e-pub. A criação é do marido de Bruna, o músico Zé Henrique Soares, que faz parte da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais. Em um quarto-estúdio ele gravou a trilha com instrumentos como marimba, caixa clara, tom-tom, vibrafone, chocalhos e apitos.

O menino protagonista de “Dentro de Casa” conquista o leitor ao contar sua própria história sobre uma “coisa muita estranha” que aconteceu em sua casa. Ele nos convida a passear pelos cômodos e, junto com ele, passamos a ver lagoa no lugar do banheiro, montanha onde era quarto e um grande pomar na cozinha. Bruna destaca que a ideia do livro não é dizer aos pais que eles precisam “transformar a quarentena em uma grande aventura dentro de casa”.

É uma obra sobre a generosidade das crianças com as pequenas coisas. “Elas olham de perto, param por um instante, desmontam, inventam e escutam. O tamanho das coisas vem da intimidade que temos com elas, já diria Manoel de Barros. É como acontece com o amor. Mas a verdade é que quem costuma fazer isso são as crianças e nós somos convidados a acompanhá-las”, afirma. (Dentro de Casa, Bruna Lubambo, Editora Aletria, 28 páginas, R$ 32)

Mais esperto que o Diabo

Escrito em 1938 e sucesso desde então, Mais esperto que o Diabo mostra que a genialidade de Napoleon Hill transcende gerações. Não é à toa que Hill é um dos autores mais lidos de todos os tempos e que não tem dificuldade para entrar nas listas dos mais vendidos até hoje. Lançado pela Citadel, casa editorial das obras de Napoleon Hill no Brasil, Mais esperto que o Diabo figura há anos entre os mais vendidos do País.

No mundo, o autor ultrapassa a marca de 100 milhões de exemplares vendidos. Por 75 anos, uma entrevista feita por Napoleon Hill ficou escondida. Ela quebrou o código secreto da mente do Diabo e revelou segredos nunca antes contados. Quem é o Diabo? Onde ele habita? Quais suas principais armas mentais? Quem são os alienados e de que forma se alienam? O que é o medo? Como buscar uma vida cheia de realizações, valorizando a felicidade e a liberdade?

Neste livro, essas e muitas outras perguntas são respondidas pelo próprio Diabo, que se autodenomina “Sua Majestade”, de acordo com Napoleon Hill. O propósito, nas palavras do autor, é ajudar o ser humano a descobrir o seu real potencial, desvendando as armadilhas mentais que os homens e as mulheres deste mundo criam para si mesmos, sabotando a própria liberdade e o direito de viver uma vida cheia de desafios, alegria e liberdade.

Escrito em 1938, após uma das maiores crises econômicas do mundo e precedendo a Segunda Guerra Mundial, este livro não somente é uma fonte de inspiração e coragem, mas um manual para todas aquelas pessoas que desejam superar suas limitações e alcançar o sucesso. (Mais esperto que o Diabo, Autor: Napoleon Hill, Citadel Grupo Editorial, 208 páginas, R$ 42,90)