Lopes: apoiamos empresas que já passaram da primeira fase - Crédito: Jose Somensi

Os desafios de 2019 para a economia brasileira serviram para ressaltar os resultados da Endeavor em Minas Gerais. A organização mundial de fomento ao empreendedorismo, existente no Brasil desde 2000, atua em duas linhas principais: apoio a empresas de alto impacto através dos programas de aceleração e, de um modo mais profundo, como Empreendedores Endeavor, e em políticas públicas para melhoria do ambiente de negócio e regulatório.

De acordo com o coordenador do escritório da Endeavor em Minas Gerais, Guilherme Lopes, a principal ação do grupo em Minas é o programa Scale-Up Endeavor, uma robusta e abrangente plataforma de apoio a empreendedores de alto impacto. Voltado para empresas escaláveis e com um alto potencial de crescimento, o Scale-Up cria conexões que transformam empreendedores e negócios.

Em Minas Gerais, no segundo semestre, foram 15 empresas apoiadas:

• 12min: aplicativo de leituras rápidas, em áudio e texto, com os pontos mais importantes de livros de não ficção;

• SmarttBot: plataforma para traders operarem de forma automatizada na bolsa de valores. Ela funciona em modelo de assinatura de planos mensais;

• DTI: serviços & softwares;

• eNotas: serviços & softwares;

• Escolaweb: serviços & softwares;

• Farmácia Eficácia: saúde & bem-estar;

• Horta 31: alimentos e bebidas;

• Mundiale: serviços & softwares;

• Omnilogic: serviços & softwares;

• Rotativo digital: mobilidade & supply chain;

• Soluparts: mobilidade e supply chain;

• Tracksale: serviços & softwares;

• Verde Agritec: indústria;

• Vida Veg: alimentos e bebidas;

• Dr. Lava Tudo: serviço para o consumidor final.

“De forma geral, no Brasil, desde 2018, estamos nos especializando nas scale-ups, que são empresas com grande potencial de crescimento. 2019 foi um ano interessante porque, apesar das dificuldades, foi um período de bom acesso ao capital. Nesse sentido o Brasil amadureceu e Minas Gerais acompanhou esse movimento. Consolidamos nosso escritório aqui e conseguimos apoiar 16 empresas durante o ano. Isso é muito significativo”, comemora Lopes.

Scale-up é como são chamadas as empresas com alto impacto e grande potencial de crescimento. Elas possuem um modelo de negócio capaz de gerar alta escalabilidade em curto prazo e crescem, pelo menos, 20% ao ano, em número de funcionários e/ou receita. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), há, aproximadamente, 35 mil scale-ups espalhadas pelo País, o que corresponde a menos de 1% do total de organizações do Brasil.

“Apoiamos empresas que já passaram da primeira fase em que a principal preocupação é a sobrevivência e já começam a ter uma visão de futuro. Essas empresas têm dificuldades específicas e precisam de apoio para dar essa virada. O Brasil não tem tantas empresas nessas condições e fazemos uma seleção rigorosa, mas elas são essenciais para o desenvolvimento do País porque elas têm, na maioria dos casos, um pilar importante que é devolver para a sociedade em forma de resultados e conhecimento compartilhado, parte do que receberam”, explica o coordenador do escritório da Endeavor em Minas Gerais.

As 15 empresas apoiadas apresentaram faturamento agregado em 2019 de R$ 355 milhões; crescimento médio no período 2018/19 de 60%. Somando as empresas apoiadas nos dois semestres, elas geraram, em 2019, 3 mil empregos. A favor de Minas Gerais o executivo aponta o alto nível educacional. A retenção desses talentos, porém, é um problema grave no Estado.

“Temos muita gente bem formada e que veio da economia tradicional, onde a educação formal é um valor muito grande. Ao mesmo tempo, um grande desafio é continuar formando e retendo esses talentos aqui. Os profissionais mineiros são constantemente assediados por outros estados e até outros países. Esse é um ponto que todo o ecossistema precisa investir”, pontua.

O Scale-Up Endeavor é aberto para empresas de todo o Brasil, mas as turmas são sediadas em sete cidades: Fortaleza (CE), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Curitiba (PR), Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS), além de Belo Horizonte. As inscrições para o programa Scale-Up do semestre que vem estão abertas e se estendem até a primeira semana de fevereiro. Podem participar empresas que tenham um modelo escalável e replicável; tenham mais de 15 funcionários; crescem mais de 20% nos últimos anos e já passaram de R$ 1 milhão de faturamento.

Além da formação, outras bandeiras nacionais defendidas pela organização se aplicam bem ao Estado: o acesso ao capital, a simplificação tributária e a diminuição da burocracia para facilitar a vida dos empreendedores. O diálogo aberto com os governos do Estado e da Capital além de entidades como a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais (Sebrae Minas) é visto como um sinal de boa vontade na busca por essas conquistas.

“Advogamos pelas nossas bandeiras fazendo pressão política – o ‘lobby do bem’. Buscamos com elas um aumento da transparência nas relações econômicas no Brasil, elevando, assim, a nossa competitividade no mercado global. O papel da Endeavor é apoiar não apenas os selecionados, mas temos uma série de materiais que podem ser acessados por qualquer empresa. O empreendedor, muitas vezes, se sente muito solitário e é importante ver que existem outras pessoas e empresas que estão passando ou já passaram pelo mesmo que ele enfrenta e saíram vitoriosos lá na frente”, conclui.