Crédito: Robson de Oliveira

As relações sociais e econômicas já caminhavam para a digitalização quando o novo coronavírus (Covid-19) chegou e acelerou este processo. Paralisados pela proibição de aglomerações em quase todo o mundo, a maioria dos eventos está migrando para o ambiente virtual, mas já há quem pense na volta e, diante de tantas transformações em busca de uma maior segurança epidemiológica, os touchless surgem como um caminho.

Belo Horizonte não é apenas a capital de Minas Gerais, mas uma cidade amplamente conhecida pela força do turismo de negócios, pelo sabor da comida mineira, pelos milhares de botecos e por sediar grandes feiras e congressos e, nos últimos anos, se tornou também palco de grandes festas e shows.

Por isso mesmo, juntamente com tantos outros destinos turísticos, também está sofrendo os impactos da pandemia.

Pensando em resolver parte dos problemas, a Dpen – abreviação de ‘Digital Payments for Entertainment’ -, criada em 2019, já começou a realizar eventos 100% touchless, com cashless, fila digital do banheiro e interação do público via chatbot, tudo por um aplicativo: o Dpen Touchless.

A partir da tecnologia, a startup já realizou eventos em formato drive-in, com a missão de solucionar e garantir o necessário distanciamento social em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, e agora negocia com organizadores de eventos e estabelecimentos da capital mineira.

“Já temos grandes parceiros na cidade que conhecem nossos produtos e soluções. Em breve anunciaremos o primeiro evento no formato drive-in e com a tecnologia Dpen Touchless também na cidade”, informou o sócio da startup, Luis Felipe Palomares.

Segundo ele, em Progressive Web App (PWA), a ferramenta chega para dar suporte às demandas do novo formato de entretenimento no País – desde a forma de consumir entretenimento, participar de feiras, congressos e jogos, até a nova forma de passear em shopping centers.

“O futuro chegou mais rápido. Talvez, se tivesse acontecido lá atrás, teria antecipado o sucesso dos streams ou dos aplicativos de comida. Como atuamos no desenvolvimento de soluções para eventos, já estávamos fazendo alguns trabalhos com recursos touchless, introduzindo a tecnologia e proporcionando uma experiência melhor para o cliente. Como a pandemia colocou em questão tudo que envolve um evento, antecipamos as soluções”, explicou.

Ele garantiu que a experiência do novo formato começa desde a porta do evento, onde um totem faz a leitura dos ingressos dos participantes, sem sair do carro, evitando a proximidade social. “Diante das atuais perspectivas, o caminho para os eventos tem sido os drive-in. Sob o ponto de vista do organizador, quem não está fazendo ainda vai fazer. E do cliente, quem ainda não foi, vai”, completou.

E, após alguns dias do lançamento oficial, mais de mil carros já fizeram uso da ferramenta neste formato de evento. Mas o empresário lembrou que o aplicativo também poderá ser utilizado em qualquer ocasião com potencial de aglomeração e que tenha local marcado, como é o caso de cinemas, restaurantes, campos de futebol, teatros, entre outros.

Em ambos os casos, basicamente, usuário faz uso do cashless, tecnologia para facilitar o pagamento e, assim como aplicativos de comida, acessa ao cardápio e faz sua compra pelo celular. O pedido chega direto na cozinha e, quando fica pronto, uma pessoa do staff, devidamente equipada com Equipamento Proteção Individual (EPI), realiza a entrega.

Nos eventos drive-in é proibido sair do carro por qualquer motivo, a não ser ir ao banheiro. Neste caso, o participante sinaliza por meio do aplicativo e aguarda em uma fila virtual. “Assim que a cabine estiver vazia e, após a higienização, ele receberá a liberação para ir até o local. O mesmo serviço poderá ser disponibilizado em shopping centers”, afirmou.

Já a função chat é para que o público interaja entre si, comente sobre o evento, faça networking ou qualquer contato com a organização.

Cinear Drive-in – O Mix Garden, no Jardim Canadá, em Nova Lima (RMBH), já está realizando eventos do tipo. Trata-se do Cinear Drive-in, promovido pela Cineart. Com tela de alta tecnologia e transmissão de som pelo rádio do carro, o espaço tem capacidade para 101 carros por sessão, com até cinco pessoas por carro.

Os carros são direcionados por ordem de chegada e os ingressos para o cinema, bem como para o combo de refrigerante e pipoca, são disponibilizados previamente pelo aplicativo ou site da Cineart.

O projeto ocorre de quarta a domingo, no Mix Garden, em três horários por dia: sessão família (18h); sessão adulto entre 20h30 e 21h e sessão corujão 23h30 (aos sábados).

O Cinear Drive-in também está em funcionamento no Alphaville, na Lagoa dos Ingleses.