Os médicos são nossos parceiros com diferentes tipos de contrato, afirmou Diogo Umann - Crédito: Divulgação

Os últimos anos foram marcados pelo surgimento e crescimento de uma nova modalidade de atendimento médico: as clínicas populares. Impulsionadas pelos clientes que não mais podiam arcar com os altos custos dos planos de saúde, mas ainda resistentes ao atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS), as clínicas se tornaram um modelo de negócios exitoso.

Há um ano e meio, a clínica Imedato foi inaugurada no Power Shopping Centerminas, na região Nordeste, com o propósito de ir além das clínicas populares, mantendo os preços baixos característicos do modelo e aliando alta tecnologia e integração entre os médicos e entre médicos e pacientes.

Segundo o diretor médico da Clínica Imedato, Diogo Umann, infraestrutura e corpo clínico têm que estar a serviço do paciente. É o cliente que deve estar no centro do sistema. A estrutura física de 150 m² é dividida em seis consultórios, duas salas de procedimentos, uma sala de dermatologia estética, uma sala de coleta laboratorial e uma sala de ultrassonografia, munidas de equipamentos de tecnologia avançada para os atendimentos das especialidades de cardiologia, oftalmologia, ginecologia e outras 25 especialidades. Com isso, os resultados de exames são anexados ao prontuário eletrônico do paciente, o que facilita muito na hora do retorno, garantindo a privacidade e segurança do paciente que não precisa mais transitar com os resultados pela cidade.

Os exames que não estão disponíveis no espaço da clínica são agendados em laboratório e clínicas parceiras e o resultado vai automaticamente para a Imedato, sem que o paciente precise buscar.

“Os médicos são nossos parceiros com diferentes tipos de contrato, de acordo com as necessidades de cada um. O que nos diferencia é o alinhamento entre os médicos e a empresa. Trabalhamos tendo o paciente como foco. Toda a estrutura e tecnologia disponíveis são para que o atendimento seja completo”, afirma Umann.

A localização é outro ponto forte, na opinião do médico. Além de estar em um shopping center – tendência que se consolida pela segurança, conforto e comodidade oferecidas pelos centros de compra -, a região também é um diferencial. Ao lado de uma estação do metrô, a clínica recebe muitos pacientes das cidades do Vetor Norte.

“Estamos entre o hipercentro e a região de Venda Nova, que concentram esse tipo de atendimento. A região Nordeste acabava ficando mal atendida. O metrô facilita a vinda de pessoas das cidades próximas e assim acabamos recebendo gente até de lugares mais distantes, como Betim e Contagem, atraídas pela confiança que têm nos nossos profissionais”, destaca o diretor médico da Clínica Imedato.

Para 2020, a ideia é consolidar a unidade e começar a se preparar para uma expansão. O modelo de crescimento ainda não foi decidido. A preocupação agora é garantir a solidez do negócio. “Medicina não é um negócio como os outros. Ao longo desse tempo de existência nos adaptamos, corrigimos rumos e crescemos mais que o planejado. O momento agora é de consolidação e nos prepararmos para expandir”, pontua o médico.