COTAÇÃO DE 20/05/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,8730

VENDA: R$4,8740

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,9500

VENDA: R$5,0570

EURO

COMPRA: R$5,1492

VENDA: R$5,1504

OURO NY

U$1.846,53

OURO BM&F (g)

R$288,58 (g)

BOVESPA

+1,39

POUPANÇA

0,6441%

OFERECIMENTO

Negócios Negócios-destaque

Municípios investem em energia limpa

COMPARTILHE

Crédito: Renato Cobucci/Imprensa MG

O Brasil possui uma das melhores condições no mundo para produção de energia solar. Apesar disso e da busca por energia limpa ser unânime e crescente por aqui, o País ocupa apenas a 10ª posição de países que mais produzem e consomem energia solar, representando hoje 1,2% da matriz energética brasileira. O Brasil instalou 1,2 GW de energia solar em 2018, totalizando 2,4 GW de capacidade instalada acumulada.

Alguns municípios, no entanto, se destacam no uso da tecnologia limpa. A capital carioca lidera o ranking da cidade que possui maior potência instalada com 17,7 MW. Mas, é o Estado de Minas Gerais que lidera a geração distribuída da energia limpa.

PUBLICIDADE




O estado mineiro tem três cidades no ranking das 10 cidades em potência instalada por geração distribuída do País, conforme dados de 2019 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e Associação Brasileira de Energia Fotovoltaica (Absolar). São 241,9 MH instalados, muito acima dos 189,7 MW do Rio Grande do Sul, o segundo do País em potência instalada.

O segredo? Incentivo para a energia limpa. Além de ter altos índices de incidência solar em grande parte do ano, o governo de Minas Gerais foi pioneiro em conceder isenção do ICMS para projetos de energia fotovoltaica. Com essa combinação de irradiação e isenção atualmente o Estado lidera o número de instalações.

Uberlândia, no Triângulo Mineiro, é a cidade mineira com maior número de instalações de sistema com um total de 14,8 MW instalados, seguida da capital Belo Horizonte, que possui 10,3 MW, e Buritizeiro (uma cidade do Norte de Minas com menos de 30 mil habitantes), com 8,8 MW.

Cidades do Centro-Oeste e do Nordeste também se destacam no ranking, com destaques para as capitais Brasília, Fortaleza, Cuiabá, Teresina e Goiânia.

PUBLICIDADE




Apesar de contar apenas com a pequena Santa Cruz do Sul, no centro do estado, no ranking das 10 cidades com mais potência instalada no País, o Rio Grande do Sul destaca-se no quadro estadual. Com 189,7 MW instalados é o segundo em geração distribuída do País.

De acordo com a Absolar, o RS ocupa a posição por ter mais sistemas de energia solar comerciais instalados, que possuem maior potência se comparados aos sistemas residenciais. De acordo com dados da Aneel, a cidade de Santa Cruz do Sul possui em operação mais de 500 usinas de geração de energia fotovoltaica instalados em residências e comércio.

São Paulo está no terceiro lugar estadual e possui um dos maiores registros de sistemas instalados em residências, de acordo com dados da Aneel. “Uma das nossas maiores riquezas é o nosso sol, temos o clima e território perfeito, e saber aproveitar este recurso que está disponível é mais que inteligente, é sustentável e necessário. Eu vejo o nosso trabalho como um serviço de utilidade pública”, comenta Alcione Belache, CEO da Renovigi, líder brasileira na produção de sistemas fotovoltaicos.

O CEO da Renovigi reforça que a perspectiva de crescimento é grande em todo território nacional: “No mês de dezembro de 2018 apenas 0,7% da oferta de energia elétrica no Brasil foi gerada pela fonte solar fotovoltaica, conforme dados do Ministério de Minas e Energia. Mas, em compensação, estimativas do setor apontam que 886.723 sistemas fotovoltaicos serão instalados somente no Brasil até o ano de 2024”.

O uso da energia renovável é uma tendência mundial. De acordo com um relatório divulgado pela Organização das Nações Unidas (ONU), a energia solar vem se destacando perante as demais fontes de energia elétrica no mundo, e hoje é considerada a principal responsável pelo desenvolvimento sustentável. Somente em 2018, foram investidos US$ 139,7 bilhões em energia solar no mundo. (Da Redação)

Ranking municipal em potência instalada (MW) no País

1º Rio de Janeiro/RJ – 17,7 (1,5%)

2º Brasília/DF – 16,3 (1,3%)

3º Fortaleza/CE – 15,6 (1,2%)

4º Uberlândia/MG – 14,8 (1,2%)

5º Cuiabá/MT – 12,4 (1%)

6º Santa Cruz do Sul/RS – 11,0 (0,9%)

7º Teresina/PI – 8,8 (0,9%)

8º Belo Horizonte/MG – 10,3 (0,8%)

9º – Goiânia/GO – 9,6 (0,8%)

10º Buritizeiro/MG – 8,8 (0,7%)

Ranking estadual em potência instalada (MW) no País

1º Minas Gerais – 241,9 (19,9%)

2º Rio Grande do Sul – 189,7 (15,6%)

3º São Paulo – 156,3 (12,9%)

4º Mato Grosso – 81,7 (6,7%)

5º Paraná – 59,4 (4,9%)

6º Rio de Janeiro – 55,3 (4,6%)

7º Santa Catarina – 54,9 (4,5%)

8º Goiás – 48,3 (4 %)

9º Ceará – 47,7 (3,9%)

10º Pernambuco – 33,9 (2,8%)

 

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!