COTAÇÃO DE 22/06/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$4,9650

VENDA: R$4,9660

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$4,9570

VENDA: R$5,1130

EURO

COMPRA: R$5,9745

VENDA: R$5,9772

OURO NY

U$1.778,62

OURO BM&F (g)

R$286,53 (g)

BOVESPA

-0,38

POUPANÇA

0,2446%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Negócios Negócios-destaque
Crédito: Renato Cobucci/Imprensa MG

O Brasil possui uma das melhores condições no mundo para produção de energia solar. Apesar disso e da busca por energia limpa ser unânime e crescente por aqui, o País ocupa apenas a 10ª posição de países que mais produzem e consomem energia solar, representando hoje 1,2% da matriz energética brasileira. O Brasil instalou 1,2 GW de energia solar em 2018, totalizando 2,4 GW de capacidade instalada acumulada.

Alguns municípios, no entanto, se destacam no uso da tecnologia limpa. A capital carioca lidera o ranking da cidade que possui maior potência instalada com 17,7 MW. Mas, é o Estado de Minas Gerais que lidera a geração distribuída da energia limpa.

PUBLICIDADE

O estado mineiro tem três cidades no ranking das 10 cidades em potência instalada por geração distribuída do País, conforme dados de 2019 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e Associação Brasileira de Energia Fotovoltaica (Absolar). São 241,9 MH instalados, muito acima dos 189,7 MW do Rio Grande do Sul, o segundo do País em potência instalada.

O segredo? Incentivo para a energia limpa. Além de ter altos índices de incidência solar em grande parte do ano, o governo de Minas Gerais foi pioneiro em conceder isenção do ICMS para projetos de energia fotovoltaica. Com essa combinação de irradiação e isenção atualmente o Estado lidera o número de instalações.

Uberlândia, no Triângulo Mineiro, é a cidade mineira com maior número de instalações de sistema com um total de 14,8 MW instalados, seguida da capital Belo Horizonte, que possui 10,3 MW, e Buritizeiro (uma cidade do Norte de Minas com menos de 30 mil habitantes), com 8,8 MW.

Cidades do Centro-Oeste e do Nordeste também se destacam no ranking, com destaques para as capitais Brasília, Fortaleza, Cuiabá, Teresina e Goiânia.

Apesar de contar apenas com a pequena Santa Cruz do Sul, no centro do estado, no ranking das 10 cidades com mais potência instalada no País, o Rio Grande do Sul destaca-se no quadro estadual. Com 189,7 MW instalados é o segundo em geração distribuída do País.

De acordo com a Absolar, o RS ocupa a posição por ter mais sistemas de energia solar comerciais instalados, que possuem maior potência se comparados aos sistemas residenciais. De acordo com dados da Aneel, a cidade de Santa Cruz do Sul possui em operação mais de 500 usinas de geração de energia fotovoltaica instalados em residências e comércio.

São Paulo está no terceiro lugar estadual e possui um dos maiores registros de sistemas instalados em residências, de acordo com dados da Aneel. “Uma das nossas maiores riquezas é o nosso sol, temos o clima e território perfeito, e saber aproveitar este recurso que está disponível é mais que inteligente, é sustentável e necessário. Eu vejo o nosso trabalho como um serviço de utilidade pública”, comenta Alcione Belache, CEO da Renovigi, líder brasileira na produção de sistemas fotovoltaicos.

O CEO da Renovigi reforça que a perspectiva de crescimento é grande em todo território nacional: “No mês de dezembro de 2018 apenas 0,7% da oferta de energia elétrica no Brasil foi gerada pela fonte solar fotovoltaica, conforme dados do Ministério de Minas e Energia. Mas, em compensação, estimativas do setor apontam que 886.723 sistemas fotovoltaicos serão instalados somente no Brasil até o ano de 2024”.

O uso da energia renovável é uma tendência mundial. De acordo com um relatório divulgado pela Organização das Nações Unidas (ONU), a energia solar vem se destacando perante as demais fontes de energia elétrica no mundo, e hoje é considerada a principal responsável pelo desenvolvimento sustentável. Somente em 2018, foram investidos US$ 139,7 bilhões em energia solar no mundo. (Da Redação)

Ranking municipal em potência instalada (MW) no País

1º Rio de Janeiro/RJ – 17,7 (1,5%)

2º Brasília/DF – 16,3 (1,3%)

3º Fortaleza/CE – 15,6 (1,2%)

4º Uberlândia/MG – 14,8 (1,2%)

5º Cuiabá/MT – 12,4 (1%)

6º Santa Cruz do Sul/RS – 11,0 (0,9%)

7º Teresina/PI – 8,8 (0,9%)

8º Belo Horizonte/MG – 10,3 (0,8%)

9º – Goiânia/GO – 9,6 (0,8%)

10º Buritizeiro/MG – 8,8 (0,7%)

Ranking estadual em potência instalada (MW) no País

1º Minas Gerais – 241,9 (19,9%)

2º Rio Grande do Sul – 189,7 (15,6%)

3º São Paulo – 156,3 (12,9%)

4º Mato Grosso – 81,7 (6,7%)

5º Paraná – 59,4 (4,9%)

6º Rio de Janeiro – 55,3 (4,6%)

7º Santa Catarina – 54,9 (4,5%)

8º Goiás – 48,3 (4 %)

9º Ceará – 47,7 (3,9%)

10º Pernambuco – 33,9 (2,8%)

 

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!