COTAÇÃO DE 27/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3780

VENDA: R$5,3790

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3130

VENDA: R$5,5370

EURO

COMPRA: R$6,2562

VENDA: R$6,2591

OURO NY

U$1.750,16

OURO BM&F (g)

R$300,91 (g)

BOVESPA

+0,27

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Política
Crédito: Ricardo Stuckert

Mais dez projetos, a maioria relacionada à pandemia do coronavírus devem ser votados pelo Plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) nessa quinta-feira (23).

Entre as matérias, duas buscam dar maior transparência às ações envolvendo o combate ao coronavírus no Estado. O Projeto de Lei (PL) 1.830/20, do deputado Alencar da Silveira Jr. (PDT), obriga o Poder Executivo a informar, à Assembleia e ao Tribunal de Contas do Estado, todas as compras realizadas pelo Estado no combate ao Covid-19.

PUBLICIDADE

A proposição prevê que deverão ser informadas todas as compras em razão do estado de calamidade pública, independentemente do valor, constando ainda o nome do fornecedor e o valor correspondente.

Já o PL 1.757/20, da deputada Ione Pinheiro (DEM), trata da publicidade dos contratos emergenciais firmados pela administração pública devido à situação de calamidade decorrente da pandemia.

Estabelece ainda a proposição que a administração estadual deverá publicar, em seu portal da transparência, a relação desses contratos.

O PL 18/19, do deputado João Leite (PSDB), acrescenta um direito ao usuário dos serviços de saúde. Trata-se do direito de receber os originais ou cópias dos exames complementares de diagnóstico aos quais for submetido, por meio físico ou eletrônico.

Outra proposta suspende a incidência do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação de Quaisquer Bens ou Direitos (ITCD) sobre a doação destinada às ações de enfrentamento ao coronavírus.

Trata-se do PL 1.825/20, do deputado Duarte Bechir PSD, que prevê essa suspensão na hipótese tratada no inciso III do artigo 1º da Lei 14.941, de 2003, que aborda a incidência do ITCD.

Também prevê a matéria que essa medida somente será aplicada durante a vigência do estado de calamidade pública.

O PL 517/19, de acordo com seu autor, deputado Coronel Henrique (PSL), pretende compatibilizar a legislação estadual às determinações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. No caso específico, a adequação se refere à regulamentação federal relativa à vacinação obrigatória contra a febre aftosa, a brucelose e a raiva dos herbívoros.

Calamidade pública – Ainda estão previstos na pauta Projetos de Resolução (PREs) que fazem o reconhecimento do estado de calamidade pública em cinco municípios mineiros em função da pandemia. As cidades beneficiadas são: Divinópolis (Centro-Oeste), Uberaba (Triângulo), Conselheiro Lafaiete (Central), Sabará (Região Metropolitana de Belo Horizonte) e Patrocínio (Alto Paranaíba). (Com informações da ALMG)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!