COTAÇÃO DE 17/05/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2660

VENDA: R$5,2660

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,2500

VENDA: R$5,4230

EURO

COMPRA: R$6,4106

VENDA: R$6,4134

OURO NY

U$1.866,89

OURO BM&F (g)

R$316,43 (g)

BOVESPA

+0,87

POUPANÇA

0,2019%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Política

Municípios mineiros cobram ações do Estado no combate à Covid-19

COMPARTILHE

Daniel Sucupira foi à Assembleia na sexta-feira para apresentar as propostas do movimento | Crédito: Luiz Santana / ALMG

Os prefeitos das cidades mineiras com mais de 100 mil habitantes, que vêm enfrentando a falta de verbas para o custeio das ações de enfrentamento à pandemia, criaram o “Movimento 100+”. A mobilização, que reúne demandas dos municípios mineiros relativas ao enfrentamento da pandemia de Covid-19, quer cobrar dos governos providências para que a crise seja superada.

Além da cobrança do pagamento por parte do governo de Minas Gerais de verbas referentes à saúde, os prefeitos querem maiores volumes e celeridade na distribuição de vacinas, auxílio emergencial para a população de, no mínimo, R$ 600, maior disponibilidade de kits de intubação e auxílio financeiro para as cidades.

PUBLICIDADE

Na sexta-feira (16), um dos representantes do Movimento 100+, o prefeito de Teófilo Otoni, Daniel Sucupira, em reunião na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), pediu que os deputados mineiros auxiliassem as prefeituras no diálogo junto ao governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo). De acordo com Sucupira, o governo do Estado não conversa com os municípios.

“O Movimento 100+ trouxe para a ALMG as principais demandas que tem preocupado os prefeitos. Nosso objetivo é buscar o diálogo entre as autoridades que podem dar respostas às dificuldades que estamos enfrentando. A realidade de Minas Gerais, hoje, infelizmente, é que não percebemos e não temos canais de conversa e de diálogo claro na condução da pandemia. Existe, no momento, uma falta de perspectiva e de direcionamento dos caminhos que nós, prefeitos, possamos seguir para resolver essa pauta”, disse.

Com o agravamento da pandemia de Covid-19, Sucupira ressaltou que as prefeituras estão sem condições financeiras de arcar com os custos para enfrentamento à Covid-19 e que já estouraram o teto de gastos com a saúde.

Diante do momento crítico, a principal demanda dos prefeitos é que o governo do Estado pague, pelo menos, metade da dívida com os municípios na área de saúde. O prefeito de Teófilo Otoni disse que, até o final do mês, os cálculos referentes ao valor da dívida serão concluídos e divulgados.

“É necessário que o Estado de Minas Gerais cubra, no mínimo, 50% da dívida do Estado com as prefeituras, em especial na área de saúde. Sabemos que esse problema não é do governador Romeu Zema, não é dos ex-governadores, é do Estado de Minas Gerais que deve assumir e cobrir essa importante medida. Ao fazer o pagamento, permitirá que os municípios tenham condições de, neste momento tão difícil, de continuar superando e trabalhando em prol do povo nesta pandemia que assolou a vida de todos”.

Demandas essenciais – Dentre as demandas das prefeituras também está a necessidade de fornecimento de insumos para os hospitais. Sucupira destacou que a realidade das cidades é de desabastecimento dos insumos.

“É uma preocupação muito grande de todos que estão conduzindo a pandemia nos municípios. Precisamos que o repasse destes insumos seja feito de forma urgente. Temos pessoas morrendo, em Minas Gerais, porque não tem insumos. Temos pacientes intubados que estão acordando com uma situação de saúde preocupante e deplorável”, disse.

Outra solicitação é a necessidade de ampliação dos recursos para a assistência social. “Aqui em Minas, se o auxílio emergencial não chegar a R$ 600, sabemos que a situação e a pobreza tendem a agravar”.

O aumento da vacinação também foi solicitado, já que a imunização da população é vista como a forma mais eficiente de conter o avanço da pandemia de Covid-19.

“Precisamos do aumento na quantidade de vacinas enviadas aos municípios. Temos vivido a realidade de vacinas chegando à conta gotas. Nós não estamos aqui para fazer leilão na cidade que vacina mais ou menos, ou receber vacina por conta disso, o que precisamos é que as vacinas cheguem em quantidade e com a celeridade que precisamos para imunizar, haja vista que esta é a saída da pandemias”.

Também apresentamos à ALMG a necessidade de auxílio financeiro aos municípios. “Com a resolução 173 do governo federal recebemos um volume no início da pandemia, que já foi utilizado. Infelizmente, os municípios estão entrando nos seus caixas próprios e não têm mais condição de custear as despesas, em especial, as de saúde. Por isso, estamos solicitando aos governos – do Estado e federal – a ampliação dos recursos”.

Acordo com a Vale

Ainda segundo Sucupira, uma das saídas para ajudar as prefeituras seria o direcionamento dos recursos a serem pagos pela Vale, oriundos do acordo após o crime ambiental em Brumadinho, para custear os gastos com a saúde.

“Que venha os recursos da Vale, que venha o remanejamento de outros recursos por parte do orçamento municipal e que o governador do Estado utilize os recursos que tem para ajudar os municípios no combate à pandemia”.

A reportagem tentou contato com a assessoria do governo de Minas Gerais para um posicionamento do governador Romeu Zema em relação às demandas do Movimento 100+, porém, até o fechamento da matéria, não obteve resposta. O presidente da ALMG, Agostinho Patrus, apesar de previsto, não participou da coletiva e não conseguiu atender a reportagem.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!