Com a inclusão das cápsulas de alumínio a partir de 2020, Grupo Utam vai passar a atuar em todos os segmentos do produto - Crédito: Divulgação

O Grupo Utam, com matriz em Ribeirão Preto (São Paulo) e filial em Piumhi, no Centro-Oeste de Minas Gerais, investiu R$ 2,5 milhões em uma linha de envase de café em cápsulas de alumínio, na unidade mineira, onde já existe uma linha de cápsulas de plástico.

O aporte é visto como uma importante oportunidade de mercado, uma vez que o consumo de café em cápsula cresce a níveis superiores ao consumo dos demais tipos de cafés e bebidas em geral.

A expectativa da empresa é fechar o ano com manutenção do faturamento, cerca de R$ 80 milhões, o que é considerado positivo, uma vez que os preços pagos pelos produtos no mercado final ficaram menores em 2019.

De acordo com a diretora do Grupo Utam, Ana Carolina Soares de Carvalho, a produção de cápsulas de alumínio começará no início de 2020 e as expectativas são positivas. A capacidade produtiva é de 1,5 milhão de capsulas ao mês. O envase será feito com marca própria e também para terceiros.

“Com o investimento, passamos a ter a maior capacidade produtiva instalada de cápsulas compatíveis com o sistema Nespresso do País e também somos a primeira a ter o envase automático de cápsulas de alumínio no Brasil. A instalação da nova linha está em fase de finalização e, a partir de janeiro, vamos começar a produzir para o mercado”, explicou.

Com o início das operações para envase de café em cápsulas de alumínio, o Grupo Utam irá comercializar a linha de cápsulas com a marca Fazenda Santa Alcina, que é de café premium. A máquina também produz cápsulas aromatizadas, e o grupo irá trabalhar com aromas naturais.

Com o novo equipamento, que tem capacidade de produzir 1,5 milhão de cápsulas por mês, a unidade de Piumhi terá capacidade produtiva anual superior a 60 milhões de cápsulas de plástico e de alumínio.

Exclusividade – “O café em cápsula é o tipo de bebida cujo consumo mais cresce no mundo, considerando desde sucos, refrigerantes, cafés solúveis e em grãos. Então, é um mercado que tem que se investir. Além disso, a cápsula de alumínio é o que se tem de mais moderno no segmento. Investimos pela exclusividade, pelo fato de não ter, ainda, nenhuma empresa produzindo no País”, explicou Ana Carolina.

Com o novo maquinário, a diretora do Grupo Utam destaca que a empresa passará a atuar em todos os segmentos de cápsulas, podendo oferecer aos clientes alternativas de pacs com dez unidades, embalagens individuais, cápsulas de alumínio, aromatizadas e de plástico.

“Qualquer que seja a solução que o cliente busque em cápsulas, a empresa terá condições de atender”, disse.

Faturamento – Em relação ao desempenho da empresa em 2019, a expectativa é de encerrar o ano com faturamento de R$ 80 milhões, valor igual ao obtido em 2018. A estabilidade é considerada positiva em função da queda de preços do café no mercado.

“Tivemos um ano marcado pela queda de preços do café no varejo, então, quando falamos em manter o faturamento de 2018, estamos falando em crescimento de volume. Conseguimos atingir nossas metas traçadas para 2019, que era dobrar a participação das cápsulas na composição do faturamento do grupo. Para 2020, também pretendemos dobrar o faturamento com as cápsulas”, disse Ana Carolina.

Este ano, de um faturamento total do Grupo Utam de R$ 80 milhões, a participação das cápsulas é de 4% a 5%. Na unidade de Piumhi, a expectativa era de encerrar o ano com as cápsulas respondendo por 10% do faturamento, índice que foi superado e deve fechar em 15%.

O Utam possui uma capacidade produtiva de mais de 1,4 mil toneladas de café por mês, distribuídas em dois parques industriais. A empresa atende a mais de 450 cidades e possui uma carteira com cerca de 9,5 mil clientes ativos.

Envase em lata é outra aposta da empresa

O Grupo Utam, que estará presente na Semana Internacional de Café (SIC), vai apresentar novos produtos aos clientes. Além das cápsulas de alumínio, a empresa começou a trabalhar com envase de café torrado e moído em latas, que garantem a qualidade e as características originais do grão. A SIC será realizada em Belo Horizonte de 20 a 22 de novembro.

“O envase em latas tem um processo que garante a qualidade do café. Também é uma alternativa interessante para os produtores de cafés especiais, pois conseguimos fazer pequenos volumes com marcas próprias, o que torna o produto diferenciado, além de agregar valor”, disse a diretora do Grupo Utam, Ana Carolina Soares de Carvalho.

No estande do Grupo Utam, na SIC, os visitantes poderão conhecer mais sobre a linha de produção, maquinário, produtos e serviços diferenciados que a empresa presta para o setor. Especialistas estarão disponíveis para apresentar todo o portfólio de produtos do grupo e haverá degustação de cafés gourmet Fazenda Santa Alcina e cápsulas de alumínio da linha.

“Durante a feira, teremos uma estação de marca própria, onde o cafeicultor poderá levar a logomarca e sair com os produtos envasados com a marca própria em três opções de embalagens, pacote, cápsula e lata”.