Crédito: Elvira Nascimento/Aperam

Com o objetivo de ampliar o consumo per capita de aço inoxidável no Brasil, a Aperam South America, com planta em Timóteo, no Vale do Aço, investe constantemente na oferta de produtos e soluções para diversos setores produtivos nacionais. A nova aposta da companhia é o Endur, um aço de alta resistência que permite a construção de estruturas mais leve e ganho de vida útil até três vezes maior do que as gerações anteriores aço inox.

De acordo com o presidente da Aperam, Frederico Ayres Lima, o produto é fruto de uma série de aportes em pesquisa e desenvolvimento, a partir da identificação de uma lacuna na abrasão e corrosão dos materiais. Tamanhos são os esforços da companhia para a criação de novos produtos e soluções que entre 2011 e 2018 foram investidores US$ 150 milhões na área de P&D.

“Em termos de produção não foram necessários aportes significativos, até porque, nosso maquinário já é todo voltado para esse tipo de produto, foram feitos apenas alguns pequenos ajustes”, explicou.

Ainda conforme o executivo, o Endur pode ser aplicado em diferentes setores produtivos, como construção civil, mineração, automotivo, usinas de açúcar e álcool e agronegócio. “Na mineração, por exemplo, pode ser utilizado em vagões de trem, equipamentos para beneficiamento e transporte, sistema de escoamento de lavagem de minério de ferro, peneiras e outros”, disse.

É que a tecnologia oferecida pelo produto agrega vantagens competitivas aos equipamentos, como a melhora da produtividade, eficiência e segurança da matéria-prima. Além disso, por ser resistente à corrosão e pela alta resistência mecânica, também é uma solução ideal para canteiros de obras e ambientes úmidos.

Lima contou que após testes em laboratório e em campo, a Aperam aplicou o Endur em caminhões betoneira e já apurou resultados significativos. Percebeu-se, por exemplo, um aumento da vida útil dos equipamentos em três vezes. E, além de proporcionar maior longevidade ao equipamento, a solução também reduziu o peso do caminhão em cerca de 2,5 toneladas.

Sobre os esforços da siderúrgica em colaborar para o aumento do consumo per capita de aço inoxidável no Brasil, Lima recordou que o projeto ganhou corpo ainda em 2015, sempre sustentado pelo baixo consumo de aço inox no País. A estratégia segue fundamentada em três pilares: nacionalização, exportações indiretas e inovação.

Expectativa – Em 2018, as vendas de soluções em aço inox para os diferentes setores produtivos representaram 6% do total da empresa e a expectativa, conforme o presidente, é que esse percentual aumente neste exercício. O incremento, segundo ele, deverá ser ancorado pela oferta de novos produtos e pela, ainda que pequena, melhora na economia.

“O mercado de aço inox no Brasil possui um grande potencial, justamente pelo fato de o consumo aparente estar em um patamar considerado baixo, com pouco mais de 2 quilos per capita, metade do que já foi há uma década e inferior a diversos países. Nossa meta é sempre ampliar esta participação, mas depende de uma série de fatores, como poder aquisitivo, disponibilidade de infraestrutura e o próprio PIB (Produto Interno Bruto) per capita”, citou.

A Aperam é uma produtora integrada de aços planos inoxidáveis e elétricos, além dos aços planos especiais de carbono. Devido a este perfil de produção, a companhia não tem um concorrente direto instalado no País. A planta de Timóteo possui capacidade produtiva total de 900 mil toneladas de aço líquido por ano.