COTAÇÃO DE 26/07/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,1740

VENDA: R$5,1740

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,1630

VENDA: R$5,3400

EURO

COMPRA: R$6,1233

VENDA: R$6,1261

OURO NY

U$1.797,46

OURO BM&F (g)

R$299,92 (g)

BOVESPA

+0,76

POUPANÇA

0,2446%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Coronavírus Economia livre

China eleva exportação de combustíveis após impacto na demanda doméstica

COMPARTILHE

Crédito: REUTERS/Dominique Patton

Cingapura/Melbourne – A China elevou as exportações de combustíveis para compensar perdas na demanda doméstica, enquanto lida com as consequências de uma epidemia de coronavírus.

Segundo maior consumidor global de petróleo, o país não conseguiu evitar a formação de um excesso de oferta após cortes na produção de refinarias.

PUBLICIDADE

De acordo com fontes comerciais e analistas do setor, as exportações de produtos refinados de petróleo da China subiram para níveis muito acima dos vistos um ano atrás, aumentando a oferta na Ásia, onde outros países também lidam com uma demanda enfraquecida devido ao vírus.

A demanda por produtos refinados de petróleo na China deve cair 35,7% no primeiro trimestre quando na comparação com mesmo período do ano anterior, levando a uma sobreoferta de 27,08 milhões de toneladas no mercado local, disse a área de pesquisa da China National Petroleum Corp (CNPC).

“Nós agora vemos as exportações chinesas pós-Ano Novo Lunar em 156 mil toneladas por dia, ante 139 mil toneladas no mesmo período do ano passado, alta de 12% na comparação anual”, disse o chefe de análises de mercado na empresa de dados de commodities Kpler, Alexander Booth.

A consultoria SIA Energy, com sede em Pequim, disse esperar que as exportações desses produtos no primeiro trimestre cresçam em 58 mil bpd, com alta de 3,9% na comparação com mesmo período do ano anterior. Isso representa cerca de 7 mil toneladas por dia, principalmente em gasolina e combustível para aviação.

“A alta será principalmente em fevereiro e março, por causa do Ano Novo Chinês em janeiro”, disse Seng Tick Tee, da SIA.

“Nós estimamos que a redução na demanda da China (por combustível de aviação) vai superar os cortes de produção em 0,1 milhão de barris por dia em fevereiro, o que significa que as exportações devem vir fortes em março”, disseram analistas da consultoria Energy Aspects.

(Reuters)

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!