COTAÇÃO DE 16/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,2650

VENDA: R$5,2660

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,2970

VENDA: R$5,4430

EURO

COMPRA: R$6,1849

VENDA: R$6,1877

OURO NY

U$1.753,13

OURO BM&F (g)

R$296,60 (g)

BOVESPA

-1,10

POUPANÇA

0,3012%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia zCapa

Contratações de temporários devem ter queda em Minas neste ano

COMPARTILHE

Apesar do apelo das datas comemorativas, comércio em Minas ainda tem receio quanto aos efeitos da pandemia no consumo | CRÉDITO: DIVULGAÇÃO
Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

A crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) vai afetar a contratação de temporários pelos setores de comércio e serviços em Minas Gerais em 2020. Nem mesmo as expectativas quanto à Black Friday e Natal – principais datas para o varejo em termos de vendas – estão sendo capazes de elevar os números, que em nível nacional são os menores dos últimos cinco anos.

Pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens Serviços e Turismo (CNC) indica que todas as unidades da Federação deverão apresentar menos oportunidades de empregos temporários no comércio varejista neste final ano. A projeção para Minas Gerais é da criação de 8,33 mil oportunidades, contra 10 mil apuradas no exercício passado.

PUBLICIDADE

Junto com Minas, São Paulo (17,90 mil), Rio de Janeiro (6,92 mil) e Rio Grande do Sul (6,02 mil) concentrarão mais da metade (55%) das vagas a serem criadas no País.

De maneira complementar, levantamento da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio) indica que 11,4% das empresas do Estado pretendem contratar temporários nos últimos meses do ano. Porém, o número é 5 pontos percentuais menor que o do ano passado, quando 16,4% dos empresários mineiros planejaram contratar temporários, a fim de atender a alta demanda do período.

Para a economista da entidade, Bárbara Guimarães, embora parte dos empresários consultados esteja otimista com a demanda dos próximos meses, há uma cautela em relação ao cenário adverso, já que os impactos econômicos da pandemia permanecem quanto ao desemprego e achatamento da renda.

“As pessoas não estão tão dispostas a comprar. Por isso, os empresários também estão limitando as contratações. De qualquer maneira, haverá criação de vagas e, inclusive, possibilidade de efetivação de funcionários”, ressaltou.

Maiores demandas – Conforme a pesquisa, entre os empresários que contrataram temporários no ano passado, 81,8% devem manter o número de vagas ofertadas em 2019. A maioria desses postos de trabalho está distribuída entre vendedores (62,5%), operadores de caixa (10,4%), outros cargos como montador de móveis e freelancers (8,3%), motoboys/motoristas (6,3%) e balconistas (4,2%).

Já os segmentos de tecido, vestuário e calçados (24,5%); materiais de construção (18,2%); livros, jornais, revistas e papelaria (11,1%); outros artigos de uso pessoal e doméstico (9,5%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (6,7%) serão aqueles com mais admissões.

“Em virtude das medidas de distanciamento social, muitos empresários recorreram ao delivery para manter o funcionamento de suas atividades. Agora, com a liberação das atividades e o retorno de grande parte do comércio, muitas empresas que adotaram a modalidade como uma opção a mantiveram como um diferencial na prestação de serviços. A modalidade até se destacou entre as ofertas”, ressaltou.

Entre os empresários ouvidos, 22,8% têm interesse em contratar os temporários para o quadro fixo da empresa, efetivando-os entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021.

Entre as empresas que não irão admitir funcionários nos próximos meses, os motivos mais citados foram o fato de já possuírem um quadro fixo ou completo de funcionários (19,8%), e não terem movimento suficiente que justifique a contratação, além de conviverem com vendas em baixa no comércio (17,7%).

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!