COTAÇÃO DE 19/01/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5600

VENDA: R$5,5600

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,5770

VENDA: R$5,7130

EURO

COMPRA: R$6,2610

VENDA: R$6,2639

OURO NY

U$1.814,31

OURO BM&F (g)

R$322,84 (g)

BOVESPA

+0,28

POUPANÇA

0,6310%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia Economia-destaque

Empresário da indústria em Minas Gerais está mais confiante, aponta Fiemg

COMPARTILHE

" "
Crédito: Divulgação/Fiat

Após viver períodos de muitas inseguranças e incertezas, os empresários mineiros novamente estão acreditando em um futuro melhor e têm se mostrado satisfeitos com os seus negócios também no presente. Isso é o que mostra o Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei), que chegou aos 60,7 pontos em setembro. O número representa um avanço de 5,8 pontos em relação a agosto (54,9 pontos). Os dados são da Fiemg.

O resultado verificado em setembro é maior do que o registrado em março (60,2 pontos) e ficou bem próximo do que foi apurado em fevereiro (63,9 pontos), mês que antecipou a pandemia do Covid-19 no País.

PUBLICIDADE




Além disso, quando se compara o mês de setembro deste ano com o mesmo período de 2019 (60,3 pontos), também houve aumento nos números, com alta de 0,4 ponto. Em relação à média histórica (51,7 pontos), o incremento foi de 9 pontos.

O componente de condições atuais aumentou 9 pontos neste mês (54,7 pontos) em relação a agosto (45,7 pontos). Foi a primeira vez em seis meses que a fronteira dos 50 pontos foi ultrapassada, o que, para a gerente de economia da Fiemg, Daniela Muniz, foi uma grata surpresa.

Já o componente de expectativas apresentou um aumento de 4,2 pontos em setembro (63,7 pontos) frente a agosto (59,5 pontos). Trata-se da quinta alta consecutiva. Isso revela que os empresários estão otimistas em relação à economia dos seus negócios, de Minas Gerais e do Brasil nos próximos seis meses. No entanto, quando se compara setembro deste ano com o mesmo período do ano passado (64,1 pontos), o componente retraiu 0,4 ponto.

Daniela Muniz ressalta que esse incremento nas expectativas tem a ver com a percepção, por parte dos empresários, de que o pior da crise ficou para trás.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!