DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,1220

VENDA: R$5,1230

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,1430

VENDA: R$5,2800

EURO

COMPRA: R$6,1922

VENDA: R$6,1950

OURO NY

U$1.876,87

OURO BM&F (g)

R$309,26 (g)

BOVESPA

+0,13

POUPANÇA

0,2019%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia zCapa

Faturamento das indústrias de Minas Gerais caiu 18,8% em abril

COMPARTILHE

Crédito: Alisson J. Silva/Arquivo DC
Crédito: Alisson J. Silva/Arquivo DC

O faturamento da indústria geral, que engloba a indústria da transformação e a extrativa, caiu 14,8% em abril na comparação com março. Em relação ao mesmo período de 2019, o recuo foi de 18,8%. No acumulado do ano, as perdas já chegaram a 5,1% e a 4,8% no acumulado de 12 meses.

Os dados compõem a Pesquisa Indicadores Industriais de Minas Gerais (Index), foram divulgados pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e mostram, sobretudo, os impactos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no setor.

PUBLICIDADE

A retração verificada no mês passado foi a terceira mais representativa da série histórica, que teve início no ano de 2003. Os números só foram mais expressivos em novembro de 2008 (-19,1%), por causa dos reflexos da crise econômica mundial, e em maio de 2018 (-18,2%), quando eclodiu a greve dos caminhoneiros.

Conforme destaca a analista de estudos econômicos da entidade, Júlia Silper, muitas empresas pararam ou reduziram o nível de produção em virtude das medidas de isolamento social, tomadas para evitar a propagação do Covid-19. Além disso, tiveram de se readequar à demanda, pois o consumo também está se retraindo.

Todo esse cenário contribuiu para que as horas trabalhadas na produção diminuíssem 14,6% em abril em relação a março e 19,5% na comparação com o mesmo período do ano anterior. No acumulado do ano, a retração foi de 3,3%, e de 0,7% no acumulado de 12 meses.

Já a utilização da capacidade instalada atingiu a sua mínima histórica (73,9%) em abril, chegando a 77,8% no acumulado do ano.

O emprego no segmento industrial também atingiu a sua maior retração na série histórica, de 1,5%, na passagem de março para abril. Porém, quando a comparação é feita com o mês de abril do ano passado, houve aumento de 1,3%. No acumulado de 2020, o avanço foi de 4,1%, e de 3,3% no acumulado de 12 meses.

Os números foram positivos em relação à massa salarial, com crescimento de 1,1% em abril na comparação com março, de 7,4% em relação ao mesmo período do ano passado, de 4,4% no acumulado do ano e de 3,4% no acumulado de 12 meses.

O mesmo se verifica quando o assunto é o rendimento médio real, que avançou 1,4% no mês passado em relação a março, 6,1% na comparação com abril de 2019, 0,2% no acumulado de 2020 e 0,1% no acumulado de 12 meses.

Entretanto, essa realidade mais positiva nos dois indicadores (massa salarial e rendimento médio real) foi ocasionada pelos pagamentos de férias e rescisões de contratos, medidas que foram adotadas por diversas empresas por causa da crise instaurada pela pandemia.

Cenário – Os números negativos vieram depois de um primeiro bimestre bem mais promissor, conforme destaca Júlia Silper. No começo do ano, diz, os indicadores mostravam uma retomada gradual da economia. Agora, o que restou é um cenário de dúvidas. “A palavra da vez é incerteza”, pondera.

A analista de estudos econômicos da Fiemg lembra, inclusive, que a cidade de Belo Horizonte começou a reabertura comercial. No entanto, na semana passada, quando se esperava o anúncio de uma nova fase em que mais estabelecimentos reabririam as portas, isso não ocorreu, por causa dos cuidados necessários para evitar um maior contágio do Covid-19.

“Não se tem certeza de quanto tempo o isolamento social vai durar, se haverá a permissão de reabertura das atividades e depois o fechamento novamente, em caso de uma segunda onda de contaminação. As empresas não têm como se planejar, projetar a demanda. É um cenário em que quase tudo fica travado, como os investimentos e contratações”, salienta.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!