Jaguar acha ouro em nova profundidade de mina

12 de julho de 2018 às 0h00

O programa de pesquisas e sondagens da canadense Jaguar Mining, importante produtora de ouro com atividades dentro do Estado, começa a dar os primeiros resultados. A companhia confirmou que encontrou depósito de ouro abaixo da profundidade em que estão as operações atuais na mina de Turmalina, que fica no complexo de Conceição do Pará, na região Centro-Oeste. Com isso, a mineradora poderá expandir a produção no ativo. As operações da empresa estão concentradas na região do Quadrilátero Ferrífero, no Estado. Além da mina de Turmalina, o complexo de Conceição do Pará inclui planta metalúrgica e escritórios. Já os ativos de Pilar e Roça Grande fazem parte do projeto Caeté, localizado no município de mesmo nome, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). De acordo com as informações da companhia, o programa de perfurações, pesquisas e sondagens confirmou a presença de minério de ouro 300 metros abaixo das operações atuais em Turmalina, o que abre a possibilidade de expansão das reservas em futuramente, da produção. A mineradora informou que os programas de perfurações em 2018 “continuam focados na conversão e atualização do estoque crescente de recursos minerais e na atualização das reservas minerais”. Produção – No primeiro trimestre deste ano, a Jaguar produziu 18,8 mil onças de ouro a partir de seus ativos em Minas Gerais. O volume representou uma queda de 15,4% em relação à produção dos mesmos meses de 2017 (22,2 mil onças). O recuo foi consequência de mudanças do material processado na mina de Turmalina. A Jaguar vendeu 19,2 mil onças de ouro extraído (entre produção e estoques) em suas operações no Estado no primeiro trimestre deste ano contra 24 mil onças nos mesmo meses do exercício passado, uma redução de 19,6%. Para este ano, a Jaguar prevê alcançar uma produção de 90 mil onças de ouro a 105 mil onças do metal nos seus ativos em Minas Gerais. A produção de Turmalina deve representar pouco mais da metade do volume previsto, a de Pilar, aproximadamente 40%. Caso a projeção seja confirmada, o crescimento sobre 2017 será de pelo menos 7%.

Icone whatsapp

O Diário do Comércio está no WhatsApp.
Clique aqui e receba os principais conteúdos!

Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

Siga-nos nas redes sociais

Comentários

    Receba novidades no seu e-mail

    Ao preencher e enviar o formulário, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Termos de Uso.

    Conteúdo Relacionado

    Facebook LinkedIn Twitter YouTube Instagram Telegram

    Siga-nos nas redes sociais

    Fique por dentro!
    Cadastre-se e receba os nossos principais conteúdos por e-mail