A Cemig deverá investir R$ 2 bilhões em geração e transmissão | Crédito: Divulgação

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) registrou lucro líquido de R$ 3,127 bilhões em 2019, o que representa um aumento de 83,94% em comparação a 2018 (R$ 1,700 bilhão).

O anúncio feito pela companhia na última sexta-feira (20) destacou que os números apresentados retiram a empresa da situação de fragilidade financeira e econômica na qual estava até dois anos atrás.

Em meio a esse cenário, a Cemig frisou que, por ora, o desafio é manter a sua liquidez, tanto por determinação do seu plano estratégico quanto por causa da contingência da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

“Embora os estudos ainda não estejam concluídos, pode-se citar como exemplo de medida desta natureza a decisão de distribuir o dividendo mínimo obrigatório, de R$ 0,50 por ação, totalizando R$ 764 milhões”, destacou a empresa, em nota.
Apesar dos desafios pela frente, o superintendente de relações com investidores da Cemig, Antonio Carlos Velez, destaca que a companhia está com um nível de alavancagem mais confortável.

“Além disso, em relação aos nossos compromissos financeiros e às dívidas vencendo em 2020, entendemos que elas poderão ser pagas, sem que seja preciso renová-las, por conta da situação financeira da companhia”, analisa.

Distribuição – A Cemig Distribuição foi a maior responsável pelos bons resultados da companhia, correspondendo a R$ 1,640 bilhão dos lucros. Velez também destaca que se somaram aos ganhos de 2019 a decisão judicial relacionada à incidência do ICMS sobre o PIS/Cofins, que atingiu R$ 1,98 bilhão.

A companhia lembra, ainda, o ganho de R$ 224 milhões após as ações restantes da Light terem sido recalculadas em carteira, depois da comercialização de parte de participação da Cemig na distribuidora do Rio de Janeiro. “O lucro líquido ajustado foi de R$ 2,552 bilhões, o que ainda representa um crescimento significativo”, diz Velez.

O superintendente de relações com investidores da Cemig afirmou que a empresa está estudando todo o cenário atual e acompanhando de perto os acontecimentos relacionados à epidemia do coronavírus, no entanto, os investimentos planejados para este ano ainda não foram revistos.

Em 2019, a empresa investiu, só em distribuição, R$ 986 milhões. Para este ano, lembra Velez, o planejamento é de R$ 1,667 bilhão. Ao todo, somando também geração e distribuição, a companhia deve fazer investimentos na ordem de R$ 2,012 bilhões em 2020.

Mais números – O Lajida (Lucros Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização) ajustado da Cemig chegou a R$ 4,624 bilhões em 2019, crescimento de 22,30% em relação a 2018 (R$ 3,781 bilhões).

Contra o Covid-19 – Além das ações para manter a liquidez em meio à pandemia do novo coronavírus, a Cemig também destacou que a maior parte de seus colaboradores está atuando home office, com exceção dos que trabalham na área operacional.

A Cemig informou, ainda, que a partir de segunda-feira (23), as suas agências de atendimento presencial estarão fechadas por tempo indeterminado. O atendimento será feito pelos canais digitais.