COTAÇÃO DE 21-01-2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,4550

VENDA: R$5,4550

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,4870

VENDA: R$5,6130

EURO

COMPRA: R$6,1717

VENDA: R$6,1729

OURO NY

U$1.829,52

OURO BM&F (g)

R$320,53 (g)

BOVESPA

-0,15

POUPANÇA

0,6107%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Ovos de Páscoa ficam 27,42% mais caros na Capital neste ano

Segundo pesquisa da Ipead/UFMG, também foram registradas altas nos preços de outros itens cujo consumo aumenta na data, como é o caso do bacalhau

COMPARTILHE

" "
Crédito: Alisson J. Silva/Arquivo DC

A Páscoa 2021 será mais amarga para o consumidor de Belo Horizonte. Os ovos de chocolate estão, em média, 27,42% mais caros quando comparados com os valores praticados em igual data comemorativa de 2020. Também foi verificado aumento de 5,28% no valor médio da caixa de bombons.

Os dados são da pesquisa realizada, neste mês, sobre os itens mais consumidos na Páscoa, que foi elaborada pelo Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis de Minas Gerais da Universidade Federal de Minas Gerais (Ipead/UFMG).

PUBLICIDADE




O aumento dos valores dos principais produtos comercializados na Páscoa deste ano se deve a vários fatores, como a alta do dólar e oferta restrita de materiais para embalagens, o que também encarece o produto final.

Dentre os ovos de Páscoa pesquisados, as maiores altas foram verificadas nos preços da marca Garoto, com um incremento médio de 70,7% por grama. Se em 2020, o ovo de 185 gramas, modelo Clássicos ao leite, custava R$ 0,113 por grama, em 2021 o volume está cotado a R$ 0,215 por grama, representando um aumento de 89,39%.

A média de aumento nos ovos da marca Nestlé ficou em 23,68% e de 9,11% nos da marca Cacau Show. 

Peixes

Segundo o estudo, também foram registradas altas nos preços de outros itens cujo consumo aumenta na data comemorativa. No caso do bacalhau, por exemplo, a elevação no valor médio praticado em 2021 foi de 15,85%.




Os peixes, em geral, também apresentaram elevação de preço no mesmo período, chegando a 18,92% de aumento frente a igual data de 2020.

De acordo com a coordenadora de pesquisas da Fundação Ipead, Thaize Vieira Martins Moreira, é importante que o consumidor pesquise os valores antes de comprar os itens. Além de mais caros, a variação de preços do mesmo item em lojas diferentes é grande. 

“Na Páscoa 2021, a situação do consumidor continua complicada. Além dessa alta significativa nos preços de vários itens mais consumidos na data comemorativa, foi verificada dispersão dos preços, com o valor cobrado pelo mesmo ovo apresentando diferença de mais de 40% de um estabelecimento para o outro. Essa situação requer muita atenção do consumidor que pretende comprar os itens”. 

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!