COTAÇÃO DE 02-12-2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6600

VENDA: R$5,6600

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,8130

EURO

COMPRA: R$6,3753

VENDA: R$6,3783

OURO NY

U$1.768,55

OURO BM&F (g)

R$319,92 (g)

BOVESPA

0,4902

POUPANÇA

+3,66%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

Parque guseiro de MG exportará até 65% da produção neste ano

COMPARTILHE

O Sindifer-MG espera aumento de pelo menos 10% na produção de gusa no Estado em 2021 frente à de 2020, que somou 3,9 milhões de toneladas | Crédito: Divulgação

As exportações continuam garantindo o desempenho da indústria do ferro de Minas Gerais, embora em menor proporção que no ano passado. Enquanto que, em 2020, 72% da produção do parque guseiro do Estado foram enviadas ao exterior, neste exercício os embarques devem voltar aos patamares pré-crise, entre 60% e 65% da produção.

A informação é do presidente do Sindicato da Indústria do Ferro no Estado de Minas Gerais (Sindifer-MG), Fausto Varela Cançado, que disse que a produção de 2021 deverá superar as 3,9 milhões de toneladas do exercício passado, até então o maior volume do setor em 12 anos. “Estamos trabalhando para crescer pelo menos 10%. Mas se equipararmos ao volume de 2020 já vai ser muito bom. Vamos atrás de um resultado mesmo que modesto”, comentou.

PUBLICIDADE

Apesar das expectativas, Varela Cançado voltou a alertar para a baixa produtividade. Segundo ele, com o aumento substancial dos custos de produção, incluindo a escalada de preços do minério de ferro no mercado internacional, a produtividade do setor caiu consideravelmente. A começar pela perda da qualidade do produto. 

“O natural é trabalharmos com a hematita granulada com teor de ferro acima de 62%. Mas esse teor vem caindo e as ofertas atuais estão entre 55% e 60%. A produtividade vem caindo e gasta-se mais carvão e minério. Sem contar a geração de escória. Há dez anos tínhamos em torno 150 quilos de rejeito por tonelada. Hoje, com o ferro mais contaminado, ficamos entre 400 kg e 500 kg por tonelada”, advertiu o presidente d Sindifer-MG.

A dificuldade ao acesso ao insumo siderúrgico também permanece. Devido à falta do minério de ferro granulado no Quadrilátero Ferrífero, usineiros do Estado continuam buscando o minério em outros estados, como Mato Grosso do Sul, Tocantins e Bahia.

“Os preços continuam altos, a escassez nos faz buscar insumo em outras regiões, a produtividade é cada vez menor e isso nos preocupa já não é de hoje. Com isso, apesar da tendência de manter o crescimento neste exercício, a expansão pode ser comprometida”, finalizou.

Conforme publicado em abril, Minas Gerais tem hoje 45 indústrias do setor, que geram cerca de 9 mil empregos.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!