COTAÇÃO DE 23 A 25/10/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,6270

VENDA: R$5,6270

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,8030

EURO

COMPRA: R$5,6730

VENDA: R$5,6750

OURO NY

U$1.792,47

OURO BM&F (g)

R$327,87 (g)

BOVESPA

-1,34

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia

PIB MG cresce 1,8% no 2º tri do ano, aponta Fundação João Pinheiro

COMPARTILHE

PIB Geral 33 Indústria Crédito: Antonio Pinheiro/Fotos Públicas
Crédito: Antonio Pinheiro/Fotos Públicas

A Fundação João Pinheiro (FJP) divulgou, nesta sexta-feira (17), os resultados do índice de volume do Produto Interno Bruto (PIB) de Minas Gerais referentes ao 2º trimestre de 2021. O indicador, que é utilizado como termômetro da economia e é dado pela soma de todos os bens e serviços produzidos no período avaliado, apresentou, em Minas Gerais, crescimento de 1,8% em comparação ao 1º trimestre do ano, quando o PIB mineiro registrou alta de 0,4%. 

O desempenho é resultado de movimentações financeiras estimadas em R$ 206,1 bilhões e, conforme balanço da FJP, o valor é composto pelo Valor Adicionado Bruto (VAB), caracterizado pela parcela de contribuição dos diferentes setores da economia, que foi calculado em R$ 183,6 milhões, e outros R$ 22,5 bilhões referentes aos impostos indiretos líquidos de subsídios — aqueles que incidem sobre o consumo, mas em que há o desconto dos subsídios. 

PUBLICIDADE

Em relação a todo o semestre, o pesquisador da FJP, Raimundo Leal, lembrou que no comparativo com 2020 os primeiros seis meses de 2021 foram fechados com o “crescimento expressivo” de 33,4%. “A gente pode decompor esse resultado em duas partes iniciais: o primeiro é que a quantidade de bens e serviços produzidos aumentou. Em segundo lugar, o que explica é que os preços também aumentaram. Mas se a gente consolidar o primeiro semestre de 2021, comparado com 2020, nós temos crescimento real de 7,4%, indicativo do quanto a economia de Minas já cresceu no acumulado do ano”, explicou Leal. 

Ainda no que diz respeito aos comparativos mineiro e brasileiro, vale ressaltar que diferentemente do que ocorreu no 1º trimestre de 2021, quando o PIB do país cresceu 1,2% e Minas Gerais apenas 0,4%, no último trimestre (abril a junho) o movimento foi inverso: enquanto o Estado teve alta de 1,2% no PIB, o Brasil registrou retração de 0,1% na soma da produção interna, sendo que o PIB mineiro representou 9,6% do nacional. 

Desempenhos do PIB entre setores

O setor de serviços figura como o mais representativo do PIB mineiro, responsável por um terço do indicador do Estado. No 2º trimestre de 2021, as riquezas produzidas no setor movimentaram R$ 101,9 bilhões, impulsionados, principalmente, pelo transporte rodoviário de cargas provenientes da indústria da transformação e da prestação de serviços, como o de consultoria, a outras empresas. 

O aumento da vacinação também surtiu efeitos para o comércio, que registrou alta de 0,5% no resultado com a venda de livros, jornais e revistas, além de itens de vestuário, calçados e tecidos. “O PIB do 2º trimestre já destaca a primeira contribuição do avanço da vacinação. Apesar da segunda onda que tivemos da pandemia, esse avanço permitiu que o segmento de serviços iniciasse a sua recuperação. Essa recuperação ainda não se completou, a gente ainda não retornou ao período pré-pandemia, mas o horizonte é favorável para o 2º semestre deste ano”, analisa Leal. 

O resultado do PIB teve contribuição positiva da indústria, favorecido diretamente pelo aumento dos preços dos bens de consumo, conforme supracitado. No total, o setor da indústria contribuiu com 29,8% do PIB mineiro, com valores estimados em R$ 54,7 bilhões e registrou, no VAB, alta de 4,6% no comparativo ao trimestre anterior .

a agropecuária foi responsável pela geração de R$ 27 bilhões, contribuição de 14,7% no PIB do Estado. No entanto, o setor apresentou retração de 3,2% no VAB, enquanto o cenário brasileiro teve queda menor, estimada em 2,8%, o que pode ser explicado pela baixa na colheita do café, processo natural e que diz respeito à bianualidade do grão, que oferece mais fruto após o primeiro ano do plantio e tem a produção menor no segundo ano (caso de 2021).

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!