COTAÇÃO DE 24/01/2022

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,5030

VENDA: R$5,5030

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,4870

VENDA: R$5,6630

EURO

COMPRA: R$6,2080

VENDA: R$6,2103

OURO NY

U$1.842,90

OURO BM&F (g)

R$323,72 (g)

BOVESPA

-0,92

POUPANÇA

0,5845%%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Economia zCapa

Produção da indústria mineira sobe pelo 2º mês seguido

COMPARTILHE

" "
O indicador de utilização da capacidade instalada efetiva em Minas subiu 5,7 pontos e atingiu o nível pré-pandemia | Crédito: CHARLES SILVA DUARTE / Arquivo DC

A indústria mineira continua dando sinais de recuperação após seis meses de quedas em virtude dos fortes impactos provocados pela crise gerada pela pandemia de Covid-19 e os empresários já se mostram mais otimistas para os próximos meses.

As empresas encerraram julho com nível de estoques abaixo do planejado, sinalizando demanda superior à esperada. Ainda assim, a utilização da capacidade instalada permaneceu abaixo da usual para o mês, mostrando que a indústria ainda opera com ociosidade.

PUBLICIDADE




O cenário tem como base a Sondagem Industrial de Minas Gerais, divulgada pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), referente ao sétimo mês de 2020. Segundo o levantamento, em julho, a produção da indústria mineira aumentou 6,3 pontos sobre junho, chegando a 59,7 pontos, o segundo mês consecutivo de desempenho positivo.

Com o resultado, a produção industrial do Estado atingiu o patamar mais elevado desde março de 2010, quando o índice havia sido de 62,1 pontos. Em relação a julho de 2019 (54,9 pontos), o indicador avançou 4,8 pontos.

Além disso, o índice de evolução do número de empregos avançou pela terceira vez seguida, em 3,9 pontos e atingiu 51,5 pontos o mês passado. Dessa maneira, o indicador ultrapassou a barreira dos 50 pontos pela primeira vez desde fevereiro, indicando crescimento do emprego. Frente a julho de 2019, o indicador aumentou 2,8 pontos.

O índice de utilização da capacidade instalada efetiva em relação à usual aumentou 5,7 pontos na comparação com junho, chegando a 45,4 pontos em julho, retornando ao nível pré-pandemia. Mesmo assim, o resultado inferior aos 50 pontos mostra que a indústria operou com capacidade de produção abaixo da usual para o mês. Houve crescimento de 2,3 pontos em relação a julho de 2019.




Já quanto aos estoques, a pesquisa apurou 49,3 pontos em julho, indicando nível de inferior ao planejado, com demanda acima do esperado.

Expectativa – Em relação aos próximos meses, o indicador de expectativa da demanda chegou a 60,9 pontos em agosto, ficando acima da linha de 50 pontos pelo segundo mês consecutivo, mostrando que os empresários esperam aumento da demanda nos próximos seis meses.

O índice cresceu 1,6 ponto em relação a agosto de 2019 e foi o mais elevado para o mês desde o início da série histórica mensal, em 2010.

O indicador de compras de matérias-primas registrou 57,7 pontos em agosto, sinalizando expectativa de aumento no curto prazo. Já o índice de expectativa do número de empregados marcou 54,1 pontos, mostrando, pelo segundo mês consecutivo, perspectiva de aumento do número de postos de trabalhos na indústria mineira.

Por fim, o índice de intenção de investimento registrou o quarto avanço seguido, marcando 54,8 pontos em agosto.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!