Crédito: Enildo Amaral/BCB.

São Paulo – O mercado ajustou as expectativas para a economia brasileira na pesquisa Focus do Banco Central (BC) divulgada ontem, elevando a perspectiva para a inflação no final do ano passado.

Pela nona vez seguida, a projeção para a alta do IPCA no fim de 2019 subiu no levantamento, chegando a 4,13%, de 4,04% antes. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga na próxima sexta-feira o IPCA de dezembro e o fechamento do ano.

Para 2020, a conta no Focus caiu 0,01 ponto percentual, para 3,60%.

O centro da meta oficial de 2019 é de 4,25% e, de 2020, de 4%, ambos com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

Para o Produto Interno Bruto (PIB), a estimativa de crescimento permaneceu em 1,17% para 2019 e em 2,30% para 2020.

Selic – A pesquisa semanal com uma centena de economistas mostrou ainda que a expectativa para a taxa básica de juros é de que encerre este ano em 4,50%, sem alterações.

A Selic terminou 2019 a 4,5%, nova mínima histórica, após novo corte de 0,5 ponto em dezembro, quando o BC indicou cautela em relação aos juros daqui para frente em meio a uma retomada econômica com mais ímpeto.

O Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões, continua vendo a Selic a 4,25% no fim de 2020. (Reuters)