COTAÇÃO DE 27/09/2021

DÓLAR COMERCIAL

COMPRA: R$5,3780

VENDA: R$5,3790

DÓLAR TURISMO

COMPRA: R$5,3130

VENDA: R$5,5370

EURO

COMPRA: R$6,2562

VENDA: R$6,2591

OURO NY

U$1.750,16

OURO BM&F (g)

R$300,91 (g)

BOVESPA

+0,27

POUPANÇA

0,3575%

OFERECIMENTO

INFORMAÇÕES DO DOLAR

Gestão

Comercial, TI e marketing lideram volume de demissões

COMPARTILHE

Mônica Hauck tecnologia foi grande aliada no trabalho | Crédito: Divulgação /Sólides

Com o objetivo de entender e mostrar como a pandemia transformou a área de gestão de pessoas no ambiente corporativo, a Sólides, plataforma de RH completa com People Analytics e Gestão Comportamental, lança o SólidesReport com insights e dados relevantes que mostram o que pode ser feito para melhorar os processos de recrutamento, desenvolvimento e retenção de talentos, promovendo impacto positivo na área.

O estudo analisou uma amostra de 2.335 empresas brasileiras localizadas especificamente na região Sudeste (57,82%), Sul (16,50%), Centro-Oeste (11,43%), Nordeste (10,57%) e Norte (3,67%). Todos esses dados são proporcionais a quantidade de companhias existentes em cada uma dessas localidades. Já com relação a faixa de funcionários, a maioria das companhias ouvidas possuem entre 20 e 99 colaboradores (54,8%); 100 a 499 (26,1%); até 19 (15,4%) e mais de 500 (3,7%).

PUBLICIDADE

A análise traçou também o perfil comportamental das pessoas que estão alocadas no mercado de trabalho dos parceiros da Sólides e a maioria foi identificada como Planejadores – estável, de ritmo constante e linear – (27,96%), Comunicadores – comunicativa e geralmente dotada de grande carisma e poder de persuasão – (27,85%), Executores – pessoas dominantes e independentes (26,93%%) e Analistas – detalhista, preocupada e meticulosa – (17,26%).

“Esses dados mostram insights muito importantes, principalmente se considerarmos o atual momento que estamos vivendo devido a pandemia. Ao ponderar esse cenário, o perfil Planejador pode ter sido determinante dentro das instituições uma vez que eles têm as habilidades que garantem maior eficiência na definição de novas estratégias para o negócio. Já os comunicadores foram fundamentais para manter as equipes motivadas e otimistas perante dos desafios”, afirma a fundadora da Sólides, Mônica Hauck.

Outro ponto que teve forte influência no cenário de pandemia foi a questão da rotatividade dos funcionários. De acordo com a base de dados da startup, pode-se perceber uma queda na quantidade de admissões a partir de março, mas houve uma baixa considerável em abril, chegando a 220. Já entre junho e julho, o mercado sentiu um leve aumento no número de contratações devido a diminuição de casos do coronavírus, alcançando a marca de 355. Já com relação aos setores, a área comercial teve maior volume de contratações, seguido de TI e ficando atrás do administrativo.

A pesquisa analisou também o índice de demissões. Entre os meses de março e abril, houve um pico considerável de desligamentos nas empresas, chegando a 647. Em maio e junho, passou para 414 e nos meses seguintes esse número só aumentou, chegando o pico de 877 em outubro, agravando assim o cenário de forma considerável. Já as áreas que tiveram maior número de corte foram o comercial, TI, administrativo e marketing.  Com isso, a rotatividade geral sofreu aumento em relação ao ano anterior, ficando em 25,37%, contra os 19,2% apresentados em 2019.

Um recorte feito pela Sólides é com relação ao tipo de rotatividade, que ajuda a compreender o motivo das rescisões e dependendo dos dados o setor de RH pode criar estratégias para diminuir esse índice. Enquanto em 2019 se mostrou estável, com dois picos de demissões involuntárias, 2020 teve uma mudança muito drástica no cenário externo às organizações – em abril teve um aumento de desligamentos involuntários em abril, ou seja, foram demitidas enquanto isso houve uma queda nas demissões voluntárias, poucas pessoas pediram essa demissão, principalmente devido o momento de instabilidade econômica.

O estudo apontou também que houve um crescimento mais acentuado na quantidade de mulheres admitidas do que de homens. Com relação as demissões, as pessoas do sexo feminino foram maiores que as das pessoas do sexo masculino nos dois anos analisados, o que mostra que a situação foi desfavorável para ambos.

Outro ponto analisado foi com relação a rotatividade por geração. Em 2020, os jovens da geração Z (18 a 24) foram os mais impactados com percentual de 16,27% contra 12,13% em 2019, o que representou aumento de 31,14% no número de demissões e isso aconteceu devido ao fato deles serem mais inexperientes. Em seguida, foi a geração 9,23% (40 a 60 anos) com contra 7,02% em 2019.

Em contrapartida, o levantamento traz também uma análise sobre a quantidade de pessoas promovidas de acordo com a característica de cada um deles. O perfil que mais se destacou foi o Executor, com 3,41% de profissionais que tiveram mudança positiva no cargo, percentual 71,8% maior do que o planejador (2,45%), que ocupou a segunda colocação.

“Essa diferença vai de encontro com as estratégias adotadas por muitas companhias para superar a crise, onde elas optaram em reduzir os times e acumular mais tarefas em menos colaboradores. O perfil Executor tem mais facilidade em absorver um aumento repentino na demanda e, por isso, tende a ser mais escolhido nesse tipo de situação. Além de saber lidar melhor com a pressão e por gostarem de desafios, características que foram bastante requisitadas em 2020”, explica Mônica Hauck.

Outro dado interessante é que, no ano anterior, o perfil Comunicador ocupava a segunda posição nesse mesmo ranking, em 2020 ele ficou em último, com apenas 2,30% da base promovida, logo atrás do perfil Analista, com 2,35%. Isso se explica porque esses perfis se destacam melhor em cenários mais seguros e de expansão.

Isso se comprovou quando analisamos as recontratações que ocorreram neste período. O perfil que mais se destacou foi o de executor, que em 2020 contou com 812 profissionais, contra 257 em 2019. Esse aumento pode ser explicado ao fato de que esse perfil demanda um tempo menor de onboarding e são muito bons em começarem os trabalhos já em ritmo acelerado. Para as empresas que estão em recuperação e retomada da produção, essas características são importantes.

“Diante desses insights pudemos ver que, mesmo com um cenário de incertezas e um ano desafiador, algumas empresas conseguiram agir de forma estratégica e mudaram a maneira de se relacionar com o seu colaborador, o que fez muita diferença para que elas conseguissem diminuir os impactos causados pela crise da Covid-19. Também percebemos que a tecnologia foi uma grande aliada no trabalho dos gestores, pois por meio dela foi possível fazer uma análise mais precisa a partir dos dados que são gerados pelas instituições, proporcionando resultados positivos”, finaliza Mônica Hauck.

América investe em inteligência artificial

Atrelado ao propósito da empresa de formar pessoas e revelar talentos, o América Futebol Clube firma parceria com a Sólides, plataforma completa de gestão de talentos, com People Analytics e Gestão Comportamental, com o objetivo de reestruturar a área de Gestão de Pessoas e garantir a alta performance dos seus colaboradores

Por meio da inteligência artificial, o clube poderá identificar as principais dificuldades dos seus integrantes e trabalhar essas informações de forma estratégica a fim de solucionar esses gargalos, realizar o mapeamento comportamental dos seus colaboradores, desenvolver as suas principais habilidades, criar ações de employer branding para fortalecer a marca, melhorar o engajamento e os resultados da equipe.

“Ter o América Futebol Clube em nosso portfólio é uma grande honra para a Sólides. Com certeza essa parceria trará bons resultados às duas empresas, pois acreditamos que os clubes de futebol devem valorizar cada vez mais os seus colaboradores e explorar as suas principais habilidades. Para isso, iremos disponibilizar a nossa tecnologia e expertise para que os gestores consigam, por meio dos dados e da inteligência artificial, extrair o máximo de informações e utilizá-las de maneira estratégica”, afirma a fundadora da Sólides, Mônica Hauck.

A Sólides é a única e primeira HRtech que desenvolveu inteligência artificial para entregar uma jornada completa para o RH como recrutamento e seleção, desenvolvimento e retenção e conta hoje com mais de 300 funcionários e 7 mil clientes.

“Escolhemos a Sólides porque nós sabemos que ela é referência em processos de RH, com aplicação de ferramentas de suporte para tomadas de decisão, desenvolvimento e avaliação de desempenho. Nosso objetivo é realizar o acompanhamento sistematizado dos processos internos para gerar mais assertividade e ter mais agilidade nas entregas. Nós sabemos da importância dos nossos funcionários e queremos oferecer ferramentas para que eles possam se desenvolver e crescer cada vez mais no time”, finaliza a Gerente de Recursos Humanos do América Futebol Clube, Érika Hermano Hermsdorfs.

Ao comentar você concorda com os Termos de Uso. Os comentários não representam a opinião do portal Diário do Comércio. A responsabilidade sob qualquer informação divulgada é do autor da mensagem.

COMPARTILHE

NEWSLETTER

Fique por dentro de tudo que acontece no cenário economico do Estado

OUTROS CONTEÚDOS

PRODUZIDO EM

MINAS GERAIS

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram

Comunicar erro

Identificou algo e gostaria de compartilhar com a nossa equipe?
Utilize o formulário abaixo!